Portal do Vale Tudo

Vinicio Antony aponta erros que levaram Lyoto à pior fase da carreira e aposta em nocaute sobre o ‘pato’ Eryk Anders

por: Leonardo Fabri
em 8 de Janeiro de 2018

Vivendo o momento mais delicado de sua carreira no MMA, Lyoto Machida parou para ouvir as críticas do mestre de Karatê Vinicio Antony, que há tempos, inclusive em algumas entrevistas ao PVT, aponta o distanciamento de sua modalidade raiz como o principal motivo da má fase. De volta ao octógono no dia 03 de fevereiro, quando faz a luta principal do UFC Belém contra o invicto norte-americano Eryk Anders, o brasileiro recorreu à ajuda do antigo treinador para tentar reviver os momentos de glória.

“Ele me questionou no que poderia melhorar”, revelou Vinicio Antony ao PVT. “O que aconteceu com o Lyoto foi um acidente de percurso, aconteceu com muita gente dentro do MMA. Estava conversando com o Flávio Canto… a Ronda Rousey foi uma que sofreu esse efeito… começa a treinar Boxe demais, acha que pode lutar Boxe e esquece a raiz, que é do Judô. A gente tem pouca gente que teve esse sucesso nessa transição, como o Rafael Dos Anjos, que é oriundo do Jiu-Jitsu e hoje em dia está arrebentando no Muay Thai, mas isso é raro de acontecer. O ideal é que o atleta preserve as características dele e consiga só complementar o jogo com as outras artes”.

Lyoto iniciou o camp no Rio de Janeiro sob a batuta de Vinicio Antony, que analisou detalhadamente o erro que supostamente facilitou para os recentes nocautes sofridos pelo Karateca em suas últimas lutas.

“O Lyoto acabou fazendo uma transição perigosa. A questão de treinar muito Muay Thai tornou o jogo do Lyoto mais previsível, ele caminha dentro da distância de uma maneira perigosa para um lutador de Karatê, porque o lutador de Karatê sabidamente não tem grandes esquivas pendulares como no Boxe e também não tem uma guarda muito bem postada, então isso tem dificultado a performance do Lyoto e facilitado a leitura para os adversários, que hoje leem o jogo do Lyoto com uma facilidade muito maior”.

Em relação ao próximo adversário, que venceu todas as 10 lutas de MMA que disputou na carreira, sendo seis por nocaute, o professor em Educação Física Vinicio Antony aponta o condicionamento como seu principal trunfo, mas exalta a “infinita” superioridade técnica de Lyoto Machida como o fator que deve desequilibrar o duelo.

“O Eryk Anders é um atleta muito forte, oriundo do futebol americano, tem um condicionamento físico privilegiado, é um cara que dá o mesmo ritmo para a luta do primeiro ao último round, imprime a mesma cadência, o mesmo ritmo, é um cara muito bem condicionado. Dito isto, no resto, ele é o que eu chamo – de maneira respeitosa – um pato dentro do MMA. O que é isso? Ele nada, ele anda e ele voa, mas ele nada mal, ele anda mal e ele voa mal, exatamente como um pato. Ele não é especialista em nenhuma arte marcial, não domina os fundamentos de nenhum arte marcial, nem no chão, nem em pé e nem no Wrestling. O Lyoto tem uma qualidade técnica infinitamente superior. Se o Lyoto tiver tranquilidade e impor seu jogo técnico para cima dele, deve vencer sem problemas. Acredito que uma vitória por nocaute no segundo ou no terceiro round, no máximo”.