Portal do Vale Tudo

Treinador de Lyoto aponta preferência por luta contra Belfort em vez de Bisping e revela que duelo pode acontecer no Rio

por: PVT
em 9 de Fevereiro de 2018


Com a vitória sobre Eryk Anders no último final de semana em Belém, Lyoto Machida ganhou um fôlego a mais para a sequência da carreira. Com isso, alguns nomes foram especulados para a sua próxima luta, entre eles Vitor Belfort, Michael Bisping e Rashad Evans.

Treinador de Lyoto, Vinicio Antony foi o convidado do programa “Combate News” da última quarta-feira, e revelou que sua preferência é para um duelo entre brasileiros. Além disso, disse que o combate pode acontecer na próxima edição do UFC Rio, programado para o dia 12 de maio.

“O assunto está em pauta (Lyoto x Vitor no UFC Rio), está sendo discutido. O Lyoto entende essa luta como uma possibilidade. Seria um recado para essa nova geração… Dois amigos, dois ex-campeões, dois pais de família mostrando que é um esporte, não é briga”, comentou. “Sem falar que Vitor Belfort x Lyoto Machida encheria o Maracanã fácil”.

Mesmo sem rechaçar Bisping e Evans, Vinicio Antony explica o porquê da preferência por uma luta contra Vitor Belfort, lutador que treinava até bem pouco tempo.

“Conheço os atalhos do Vitor, então seria um pouco mais fácil. Além disso, o Bisping está num momento melhor do que o Vitor e, apesar de vir de derrota, meses atrás era o dono do cinturão. O Bisping tem um kickboxing alinhado, se movimenta bem pelo octógono, enquanto o Vitor é mais parado. Enfim, a gente pode se valer disso para trabalhar em cima”.

Bastidores do UFC Belém

Outro assunto abordado no programa foi a preparação de Lyoto Machida para a luta em Belém. Oriundo do Karatê, Vinicio Antony já foi treinado por Yoshizo Machida, pai de Lyoto, e se sentiu honrado em ser convidado para participar do camp.

“Essa possibilidade agora, para mim, foi uma coisa muito legal. É um ciclo. Uma coisa que foi me dada lá atrás e eu pude retribuir com ela mesmo, e esse foi o grande barato. O pai dele é um dos maiores mestres do mundo e ele veio recorrer a mim para treinar Karatê. Isso é motivo de muito orgulho para mim. O mais importante é eu poder retribuir. O Karatê é a grande base da minha vida, quanto profissional quanto esportista, conquistei grandes amizades, como o próprio Lyoto, conheci o mundo… Então, o sensei Machida foi uma das pessoas que me possibilitou isso. E agora, quase 30 anos depois, eu poder transformar essa energia, que lá atrás ele passou para mim, em uma coisa boas para o filho dele é uma coisa sem preço”.

Uma curiosidade contada por Vinicio foi a forma dura com que o mestre Yoshizo Machida cobrava uma melhor performance de Lyoto durante os treinamentos.

“Ele sentava com um caderninho durante o treino e anotava tudo, tudo em japonês. No final ele chegava e falava: ‘Distância, tá ruim; ataque, tá ruim; defesa, tá ruim. Você é burro, Lyoto. Desaprendeu a lutar’”, lembrou o treinador, fazendo uma analogia. “Posso dizer que ele (seu Machida) é um ‘wrestler olímpico medalhista de ouro’, porque ninguém ‘bota para baixo’ tanto quanto ele (risos). Yoel Romero perderia fácil para ele”.