Portal do Vale Tudo

Shogun x Minotouro: Um duelo para a história do MMA

por: Marcelo Alonso
em 15 de dezembro de 2016

Ao contrário do que se esperava, Shogun buscou a luta no chão enquanto Minotouro preferiu a luta em pé - Foto: Marcelo Alonso

Ao contrário do que se esperava, Shogun buscou a luta no chão enquanto Minotouro preferiu a luta em pé – Foto: Marcelo Alonso

Considerada uma das melhores lutas de MMA de todos os tempos, o confronto entre Rogério Minotouro e Maurício Shogun foi também um dos capítulos mais marcantes da histórica rivalidade entre BTT e Chute Boxe, que tanto marcou o Pride.

Na reportagem a seguir vamos relembrar os bastidores desta 2ª fase do GP dos médios, realizada no dia 26 de Junho de 2005 no Japão. Um torneio que teve ainda Ricardo Arona vencendo Kazushi Sakuraba; Valentin Overeem finalizando Igor Vovchanchyn; e Wanderlei Silva nocauteando Kazuhiro Nakamura.

O MAIOR CLÁSSICO DO MMA MUNDIAL

Com tantas estrelas no card, nada mais natural que os fãs japoneses lotassem os 50 mil lugares da Saitama Arena. E, sem dúvida alguma, a luta mais aguardada da noite era entre Rogério Minotouro (BTT) – que finalizara Dan Henderson na 1º fase – e Maurício Shogun (CB) – que nocauteara Quinton Jackson no mesmo evento.

As histórias das brigas entre BTT e Chute Boxe nos bastidores do evento já haviam vazado e até os fãs japoneses respiravam a rivalidade do maior clássico do MMA mundial. Tanto que, desde o início do evento, um telão relembrava ao público japonês todos os capítulos da guerra entre as equipes brasileiras: a discussão entre Arona e Wanderlei no café; Minotauro chorando pela derrota de Zé Mario para Ninja; os componentes da BTT vibrando muito após a vitória de Arona sobre Ninja.

O fato de Anderson Silva ter acabado de deixar a Chute Boxe e, pela primeira vez, aparecer no corner dos Nogueira contra sua antiga equipe, deixava o clima nos bastidores ainda mais quente. Somado a tudo isto estava o fato de que a equipe que vencesse este confronto passaria a ter dois semifinalistas, aumentando e muito as chances de fazer um campeão.

Foi neste clima de guerra que Maurício Shogun e Rogério Minotouro subiram ao ringue. O que ninguém esperava era a maneira que a batalha transcorreria, com o faixa preta de Jiu-Jitsu da BTT buscando a luta em pé e o chute boxer buscando o chão.

Depois de nocautear Quinton Jackson na primeira fase, Shogun eliminou Rogério que havia finalizado Dan Henderson - Foto: Marcelo Alonso

Depois de nocautear Quinton Jackson na primeira fase, Shogun eliminou Rogério que havia finalizado Dan Henderson – Foto: Marcelo Alonso

Os três primeiros minutos foram uma síntese da luta. Shogun começou melhor, derrubando Minotouro duas vezes e tentando acertá-lo com pisões, mas logo recebeu um cruzado e caiu. Após sentir o golpe, porém, Shogun clinchou o baiano e o derrubou pela terceira vez.

Mas a agressividade de Shogun seria definitiva no 2º e 3º round, quando o curitibano conseguiu derrubar seu adversário diversas vezes, tentando pisões e socos voadores por dentro da guarda (superman) de Rogério, que levava vantagem em pé, mas não conseguia evitar as quedas. O último minuto de luta foi o mais emocionante. Decidido a virar o combate, Rogério partiu para cima e acertou dois cruzados em Shogun, que acusou o golpe e caiu por baixo. Rogério se levantou e tentou definir a luta com o golpe preferido dos rivais, o tiro de meta, mas Shogun agarrou sua perna e caiu por cima, terminando o combate na guarda do baiano. Após 20 minutos de uma batalha antológica, que poderia ter sido a final do torneio, Shogun seria declarado vencedor.

Rudimar cumprimenta Rogério após o histórico confronto com seu pupilo - Foto: Marcelo Alonso

Rudimar cumprimenta Rogério após o histórico confronto com seu pupilo – Foto: Marcelo Alonso

O excelente combate entre ambos acabou diminuindo o clima de guerra entre as duas equipes, tanto que após a luta, o líder da Chute Boxe, Rudimar Fedrigo, fez questão de cumprimentar Rogério. “Foi uma luta histórica, o Rogério está de parabéns. Agora está 3×1 para nós no Pride, mas o jogo ainda vai continuar por muito tempo”. Bebeo Duarte da BTT respondeu lembrando que o jogo não estava terminado. “O Rogério perdeu a luta, mas ganhou a briga, é só olhar a cara dos dois, mas a BTT está na final e eu aposto no Arona”.

ARONA TRATORIZA SAKURABA

O sempre irônico Sakuraba pintou no corpo a definição do adversário - Foto: Marcelo Alonso

O sempre irônico Sakuraba pintou no corpo a definição do adversário – Foto: Marcelo Alonso

Depois de vencer Dean Lister na primeira etapa do evento, Ricardo Arona enfrentou o maior ídolo do MMA japonês de todos os tempos: Kazushi Sakuraba. No dia da pesagem, como de praxe, o figuraço japonês aprontou uma das suas. Na tentativa de simular o corpo definido do carioca, Saku pintou seu peitoral e abdômen definidos. Arona não gostou, mas levou na esportiva. “Já esperava uma dessas, mas meu espírito é outro. Para mim ringue não é lugar de brincadeiras”, comentou o atleta da BTT.

Ricardo Arona obrigou os corners de Sakuraba a jogarem a toalha no intervalo do 2º round - Foto: Marcelo Alonso

Ricardo Arona obrigou os corners de Sakuraba a jogarem a toalha no intervalo do 2º round – Foto: Marcelo Alonso

No ringue Arona não deu chance a Sakuraba. Com seu estilo explosivo, o faixa preta de Jiu-Jitsu colocou o japonês para baixo e o tratorizou com seu Ground n´Pound. Tanto no primeiro quanto no 2º round, quando o brasileiro abusou das joelhadas enquanto Sakuraba tentava em vão se defender de quatro. Ao final do 2º round, o rosto do japonês estava tão deformado que os médicos não deixaram que ele continuasse. No final, Arona, sem saber quem enfrentaria, arriscou um palpite. “Preferia o Wanderlei, mas depois desta vitória do Shogun sobre o Rogério, pode ser o Shogun, não escolho adversários”

WANDERLEI ATROPELA MAIS UM JAPONÊS

Depois de vencer Yoshida pela segunda vez na primeira etapa do torneio, Wanderlei Silva, que na época era campeão dos médios e também campeão da primeira edição do GP, enfrentou outro judoca japonês, Kazuhiro Nakamura, que eliminara Kevin Randleman na primeira etapa.

Antes de sua luta, porém, Wanderlei interrompeu a concentração para assistir ao confronto entre Shogun e Rogério. “Clássico é clássico, tinha que dar uma força para o Piá na beira do ringue. A vitória dele me motivou ainda mais. Hoje vocês podem ter visto o nascimento do meu sucessor”, disse o curitibano.

Nakamura, com a parte de cima do quimono, até começou bem, inclusive aceitando a trocação. Mas logo a agressividade do curitibano passou a fazer a diferença. Foi quando o japonês decidiu, no meio da luta, tirar a parte de cima do quimono e acabou sendo surpreendido com uma sequência de socos. Depois de conseguir o knock down, Wand montou e obrigou o juiz a interromper com socos da montada.

OVEREEM DESAFIA CHUTE BOXE

Conhecido pelo seu excelente Muay Thai, o holandês Alistair Overeem surpreendeu a todos ao finalizar Vitor Belfort com uma guilhotina na primeira etapa do torneio. Nesta segunda etapa, o holandês voltou a usar o golpe para finalizar Igor Vovchanchyn. Depois de derrubar o russo, Alistair aproveitou sua tentativa de virar de quatro para encaixar o golpe. Ao final do evento diante da possibilidade de enfrentar os chute-boxers Shogun ou Wanderlei, Alistair não economizou palavras. “Agora a Chute Boxe vai conhecer o Muay Thai de verdade. Pode colocar aí: um holandês vai estragar a festa brasileira”.

Na conferência de imprensa, logo após a luta, Wanderlei disse que gostaria de fazer a semifinal com Overeem. “Gosto de dar show, ele tem um jogo solto e acho que posso nocauteá-lo com joelhadas”. No dia seguinte ao saber por mim que Overeem havia dito que ele só o nocautearia em seus sonhos, Wanderlei deu uma de suas declarações bombásticas. “O Muay Thai holandês é muito eficiente, mas o que vale ali é porrada, quando eu botar aquele grilinho pra baixo, vou deformá-lo”, disse o Mr. Pride.

Duas semanas após o evento a chave seria definida com Arona e Wanderlei de um lado e Overeem e Shogun de outro. Sendo que na última etapa, o campeão teria que vencer duas lutas numa noite.

RIZZO ESTRÉIA COM PÉ ESQUERDO NO PRIDE

Kharitonov surpreendeu Pedro Rizzo em sua tão aguardada estréia no Pride - Foto: Marcelo Alonso

Kharitonov surpreendeu Pedro Rizzo em sua tão aguardada estréia no Pride – Foto: Marcelo Alonso

Na primeira vez que o Combate transmitia o Pride ao vivo, os fãs tomaram um susto logo na abertura do show, quando Pedro Rizzo, que vinha sendo apontado como o 3º Brazuca (além de Minotauro e Werdum) com chances de lutar pelo cinturão do evento, fez sua estréia sendo nocauteado por Sergei Kharitonov em apenas 2 minutos. Abatido após a luta, Rizzo não quis dar desculpas. “Estou sem ritmo de luta. Só treinei com sparring a sete dias do evento quando o Marco e o Peter chegaram. Mas não quero dar desculpas, perdi e isso é tudo”, disse o discípulo de Marco Ruas, que no café da manhã no dia seguinte foi convidado por Rudimar e Rafael Cordeiro para treinar na Chute Boxe.

Neste mesmo evento, Mirko Cro Cop conquistou o direito de enfrentar Fedor valendo o cinturão dos pesados, após nocautear seu companheiro de treinos Ibragim Magomedov com um chute na costela no início da luta. Após a vitória Mirko pediu o microfone e desafiou Fedor, que subiu ao ringue com o cinturão dos pesados, aceitando o desafio.

Minotauro só precisou de 8 minutos para vencer o algoz de Aurélio Miguel, Powel Nastula - Foto: Marcelo Alonso

Minotauro só precisou de 8 minutos para vencer o algoz de Aurélio Miguel, Powel Nastula – Foto: Marcelo Alonso

MINOTAURO VINGA AURÉLIO MIGUEL

Na esteira de judocas olímpicos como os japoneses Yoshida e Nakamura, que resolveram tentar a sorte no MMA, o bicampeão olímpico Pawel Nastula, algoz de Aurélio Miguel na semifinal da Olimpíada de Atlanta, fez sua estréia no Pride enfrentando Rodrigo Minotauro.

Levando em conta o fato de estar lutando contra um oponente que já tinha 30 lutas e na época era ranqueado entre os 3 maiores pesados do mundo, até que Nastula começou bem, chegando a surpreender Minotauro com uma raspagem de gancho e uma boa defesa de finalizações, mas logo cansou e acabou se tornando presa fácil para o baiano, que conseguiu colocá-lo para baixo com um arm drag, passar a guarda e chegar a montada, obrigando os juízes a interromperem a 8min38s de luta com uma saraivada de socos.

CONTINUA NA PRÓXIMA SEMANA…

Na semana que vem o Baú traz as lutas das semifinais entre Ricardo Arona x Wanderlei Silva e Maurício Shogun x Overeem, e a grande final entre Arona e Shogun, além da disputa entre os pesados Fedor Emelianenko e Mirko Cro Cop. Não perca!

  • "O renomado jornal Tokyo Sports estampou o rosto de Sakuraba desfigurado por Arona na capa - Foto: Marcelo Alonso"
  • "Wanderlei a frente dos semifinalistas no dia da pesagem - Foto: Marcelo Alonso"
  • ""
  • "50 mil pessoas lotaram a Saitama super Arena - Foto: Marcelo Alonso"
  • "Kharitonov surpreendeu Pedro Rizzo em sua tão aguardada estréia no Pride - Foto: Marcelo Alonso"
  • "O sempre irônico Sakuraba pintou no corpo a definição do adversário - Foto: Marcelo Alonso"
  • "Depois de nocautear Quinton Jackson na primeira fase, Shogun eliminou Rogério que havia finalizado Dan Henderson - Foto: Marcelo Alonso"
  • ""
  • "Ao contrário do que se esperava, Shogun buscou a luta no chão enquanto Minotouro preferiu a luta em pé - Foto: Marcelo Alonso"
  • "Rudimar cumprimenta Rogério após o histórico confronto com seu pupilo - Foto: Marcelo Alonso"
  • "Depois de vencer Yoshida na 1º fase do torneio Wanderlei atropelou Nakamura, que havia eliminado Randleman - Foto: Marcelo Alonso"
  • ""
  • ""