Portal do Vale Tudo

Sem preferência por adversário, Marlon Moraes aponta Dillashaw favorito contra Garbrandt: ‘60% a 40%’

por: Leonardo Fabri | @Fabri89
em 12 de junho de 2018

Peso-galo brasileiro quer o cinturão – Foto: Divulgação/WSOF

O nocaute devastador sobre Jimmie Rivera em apenas 33 segundos de luta no último dia 1º deixou Marlon Moraes na expectativa de disputar o cinturão peso-galo do UFC já em seu próximo compromisso dentro do octógono. Caso a organização entenda que o brasileiro realmente fez por onde, ele enfrentaria o vencedor da revanche entre T.J. Dillashaw e Cody Garbrandt, marcada para o dia 04 de agosto. Para ele, embora não tem preferência por adversário, o atual campeão entra como favorito.

“Quem vai vencer, quem vai perder, eu não sei, eu só espero que eu seja o próximo a disputar o cinturão”, disse ao PVT. “Acho que o Dillashaw leva de novo. Mas luta é luta, qualquer um pode vencer. O Cody tem a mão pesada e rápida, pode nocautear qualquer um dessa categoria, é realmente uma luta muito difícil de prever o resultado, mas eu vejo 60% a 40% para o Dillashaw. Não tenho torcida, quero que vença o melhor, e espero enfrentar os dois ainda na minha carreira, condições de vencê-los eu sei que tenho”.

Na primeira luta entre eles, Dillashaw venceu por nocaute técnico no segundo round e retomou o cinturão que estava com o rival. Pelo histórico entre os ex-companheiros de equipe, caso Garbrandt vença desta vez e empate o confronto, pode ser que o UFC promova a trilogia, o que adiaria os planos de Marlon Moraes.

“Se não for dessa vez (a chance de disputar o cinturão), eu vou continuar trabalhando, aprendendo e me dedicando. Eu luto contra qualquer lutador, não tenho preferência por adversário e nem rivalidade com ninguém. Independentemente de qualquer coisa, eu quero os tops da categoria, então, uma hora ou outra, eu vou ter que lutar com aqueles que estão ali na frente”.

Mas no que depender do ex-campeão do WSOF, seu próximo passo na categoria é a disputa do título.

“Minha vontade é lutar pelo cinturão. Acho que eu mereço, que chegou a minha hora de ir e pegar meu cinturão. Minha primeira luta no UFC foi muito controversa, na minha opinião eu venci, e vencei as três lutas que tive depois, consegui dois nocautes em sequência contra atletas muito duros, então entendo que mereço lutar pelo cinturão”.