Portal do Vale Tudo

Para empresário de Demian, Woodley tem um jogo ‘fácil de ser mapeado’

por: PVT
em 10 de julho de 2017

Alonso e Demian têm parceria de anos – Foto: arquivo pessoal

Depois de sete vitórias convincentes e em sequência, enfim Demian Maia recebeu o direito de disputar o cinturão dos meio-médios. A luta que vale o título está marcada para o dia 29 de julho, pelo UFC 214, na Califórnia. Empresário do brasileiro, Eduardo Alonso analisou o duelo contra o campeão, Tyron Woodley, quem ele acredita ter um jogo fácil de ser estudado, mas que não pode receber nenhuma brecha sequer.

“O Woodley é luta dura para qualquer atleta do UFC abaixo dos meio-pesados, pelo simples fato de ser um cara que tem uma ‘marreta’ na mão, é muito explosivo e forte. Acho que o Woodley é um cara, sem querer ser mal interpretado, fácil de mapear. Ele tem duas ou três armas e acabou. Mas essas armas dele são muito boas e perigosas. Então mesmo ele sendo fácil de se mapear, não se pode ter margem de erro com ele. O Demian tem condição de colocar para baixo qualquer um, inclusive o Woodley. Ele é um cara fácil de se mapear, mas a execução da estratégia pra ele tem que ser perfeita”, disse em entrevista ao podcast “MMA Ganhador”.

Outro assunto abordado foi a demora para que seu atleta recebesse a tão aguardada chance de disputar o cinturão.

“Serei muito sincero… (A chance pelo título) é fruto de um trabalho árduo, mas como empresário, não me sinto orgulhoso com a marcação dessa luta. Fugiu muito do que achávamos ideal e justo. O Demian conquistou essa disputa, não foi nada fácil”, desabafou. “Não estou sentindo sensação de alívio. Cheguei em um ponto, e acredito que o Demian também – pode até parecer piada – mas as coisas foram tão difíceis que começamos a nos importar até menos com o cinturão. Você começa a perceber que não depende mais do teu trabalho e do mérito esportivo. A maior ameaça à chance do Demian foi o estado atual do nosso esporte. Anos atrás ele já teria disputado o cinturão com muito menos”.