Portal do Vale Tudo

Jéssica Bate-Estaca fará a sua estreia na faixa-preta no Sul-Americano de Jiu-Jitsu da SJJSAF

por: PVT | @portaldovt
em 2 de outubro de 2019

Recém graduada à faixa-preta, ex-campeã do UFC luta no dia 19 de outubro na Arena da Juventude – Foto: Divulgação

Um mês após ser promovida à faixa-preta de Jiu-Jitsu, a ex-campeã peso palha do UFC Jéssica Bate-Estaca já tem data para fazer a estreia oficial da nova graduação em uma competição da arte suave. A lutadora está confirmada no Sul-Americano Open da SJJSAF (Sport Jiu Jitsu South American Federation), que acontece nos dias 19 e 20 de outubro na Arena da Juventude, no Parque Olímpico de Deodoro, no Rio de Janeiro. A expectativa de Jéssica é fazer uma boa estreia na faixa-preta e honrar a nova graduação.

“A expectativa é a melhor possível. Espero me sair bem, fazer uma boa luta e honrar a minha nova faixa, a minha equipe e o meu mestre. Os campeonatos da SJJSAF são sempre muito bons e tem meninas muito duras. Fazer uma estreia na faixa-preta em um campeonato como este é muito bom. Tomara que venha a vitória”, disse a atleta da PRVT.

Ao ser questionada se a ansiedade para estrear na nova faixa era a mesma que disputar um cinturão do UFC, Jéssica disse que são sensações diferentes. Ela ressaltou que a faixa-preta é algo que ninguém pode tirar depois que você conquista, já o cinturão pode facilmente mudar de mãos.

“Você ser faixa-preta tem a questão da responsabilidade ser bem maior e também de mostrar que você merece a graduação. A faixa do Jiu-Jitsu ninguém vai tirar de você, já o cinturão você sempre terá que colocar em jogo e em algum momento alguém pode tirar de você. Por isso, acho que a ansiedade, a expectativa e a responsabilidade são um pouco diferentes do MMA”, explicou.

Premiação igualitária

Uma das novidades deste Sul-Americano Open é que a SJJSAF pagará, pela primeira vez, uma premiação em dinheiro para homens e mulheres na mesma proporção. Como uma autêntica representante feminina do MMA e do Jiu-Jitsu, Bate-Estaca elogiou a premiação igualitária promovida pela federação.

“As mulheres realmente estão fazendo por merecer. É uma coisa que já deveria existir há muito tempo. Todas as mulheres estão batalhando e crescendo no esporte. É muito bom ver que estamos conquistando o nosso espaço tanto no Jiu-Jitsu quanto no MMA. Hoje já vemos muitas meninas competindo. Quando eu comecei, quase não tinha nenhuma menina lutando. Quando tinha, muitas vezes eram meninas mais pesadas. Você tinha que participar do absoluto para fazer alguma luta no campeonato. Hoje temos muitas meninas em todas as faixas. No último campeonato que eu lutei, ainda de faixa-marrom, tinham 11 meninas disputando o absoluto. É nítido que está crescendo e melhorando. Quem sabe agora com um pouco mais de incentivo a gente não consiga ver ainda mais mulheres nos campeonatos?”, indagou Jéssica.

As inscrições para o Sul-Americano Open já estão abertas no site Sou Competidor e vão até o dia 15 de outubro. A premiação em dinheiro será dada aos campeões do absoluto leve (antigo desafio dos leves) e absoluto (todos os pesos) das faixas azul à preta, tanto no adulto quanto no master. Os campeões dos absolutos das faixas azul, roxa e marrom irão faturar R$ 300,00. Já os faixas-pretas irão receber R$ 500,00. A categoria juvenil não ganhará premiação em dinheiro, mas os campeões dos absolutos receberão gratuidade na inscrição do Rio Challenge 2020.

O evento contará ainda com as já tradicionais lutas de Parajiu-jitsu, além do Desafio Kids, com 40 cinturões em disputa. Desta vez o Desafio Kids será disputado em sistema eliminatório e sem sorteio. Para mais informações sobre as inscrições, premiações, regras e pré-cronograma acesse www.soucompetidor.com.br.