Portal do Vale Tudo

Jessica Andrade garante foco em Weili Zhang, mas revela desejo de superluta contra Valentina Shevchenko

por: PVT | @portaldovt
em 31 de julho de 2019

A um mês de fazer sua primeira defesa de cinturão no UFC, Jessica Andrade participou do RESENHA PVT e, além de relembrar a trajetória desde o início da carreira até o titulo em maio passado, fez projeções para o futuro. Perguntada sobre a possiblidade de fazer uma superluta contra a campeã da categoria de cima, Valentina Shevchenko, no final deste ano, ela garantiu o foco no duelo que já está marcado, mas mostrou interesse na sugestão.

“É uma luta que eu realmente queria fazer. Acredito que, vencendo essa luta de agora, que é a mais importante para mim, quem sabe eu não peça essa luta com a Shevchenko. No 57kg, ela é a melhor de todas, então seria um teste bem legal para mim. Gosto muito dela, nos lugares onde a gente se encontra, eu abraço ela, cumprimento ela, a gente conversa. Ela é super gente boa, mas eu quero me testar também, eu quero ver qual o meu nível, se realmente eu melhorei. Fazendo essa defesa agora, eu quero, sim, pedir a chance de poder lutar com a Valentina e quem sabe me tornar campeã em duas categorias diferentes”, disse a atleta da PRVT.

Em relação à próxima adversária, a chinesa Weili Zhang, a brasileira se disse ciente da dureza que terá pela frente, mas garantiu estar se preparando para chegar no dia 31 de agosto na sua melhor forma. Bate-Estaca também elogiou a recepção que teve quando visitou a China no início deste mês.

“Fui muito bem recepcionada, os chineses são muito carinhosos, eles abraçam, conversam, pedem fotos, são bem fãs mesmo. E a Weili Zhang foi super cordial comigo, não teve esse negócio de rivalidade, encarada braba, não, foi bem engraçado”, revelou.

O evento não será numerado, por isso, mesmo sendo campeã, não será desta vez que Jessica terá direito a uma parte do pay-per-view.

“Quando eu renovei o meu contrato com o UFC, dizia que na minha primeira defesa de cinturão eu já receberia o pay-per-view, mas eu não sei direito como vai ser, porque mudaram a forma de pagamento, agora é por venda de canal, é uma coisa diferente. Não estou sabendo direito como vai ser, mas quando a gente se torna campeã a gente quer um ‘up’ no nosso valor financeiro, porque campeã tem que investir mais, melhorar os camps, então vai dinheiro. Mas se não der nessa, sei que vou ter moral para chegar no Dana White e negociar (risos)”, relatou.