Portal do Vale Tudo

Fabrício Werdum ataca de promotor de evento e anuncia o curioso Werdum Challenge

por: PVT | @portaldovt
em 1 de outubro de 2019

Campeão no Jiu-Jitsu, no submission, no MMA e comentarista nas horas vagas, Fabrício Werdum agora vai atacar de promotor de evento. Em bate-papo com o PVT, o peso pesado revelou em primeira mão seus planos para o curioso Werdum Challenge, ou Desafio do Werdum, em português. A primeira edição está marcada para o dia 16 de novembro.

De acordo com o lutador, o formato será de embate entre dois times, com quatro integrantes para cada lado, todos lutando contra todos da outra equipe em lutas de 10 minutos, sem divisão de peso. Em caso de empate após as 16 lutas, as equipes tem 30 segundos para eleger seu representante para o duelo de desempate. Na edição inaugural, serão 20 mil dólares em jogo, casados por ambas as partes. Apenas a equipe vencedora leva o montante.

Para esta primeira edição, os combates serão de grappling, mas, para as próximas, outras modalidades podem ser utilizadas, como Jiu-Jitsu, Boxe ou Muay Thai, por exemplo. Além disso, outros tipos de desafios podem acontecer no futuro, como partida de futebol, natação, paintball, atletismo, corrida automotiva etc., dependendo do acordo entre as partes.

Desafio do Werdum

Além da estrutura supracitada, cada edição poderá ter um desafio direto ao próprio Fabrício Werdum ou a qualquer outra pessoa presente no local do evento. Entretanto, para isso, as duas partes envolvidas têm que estar dispostas a casar valores em dinheiro.

“Vou chegar no tatame e vou anunciar: tenho 50 mil dólares agora, por exemplo, e quero saber quem quer lutas comigo por 10 minutos. Mas aí tem que casar os 50 mil também. 50 mil meu e 50 mil dele. Mas é na hora ali, sem aviso prévio, de surpresa”, explicou Werdum.

“Também vou abrir para outras pessoas se desafiarem na hora. Por exemplo, um treinador que esteja lá e quer botar 5 mil dólares na mesa para lutar ali na hora… se alguém aceitar, eles lutam ali na hora e o vencedor leva todo o dinheiro. Pode ser até alguém do público”, completou.