Portal do Vale Tudo

Depois de graduar Israel Adesanya, André Galvão aceita convite para participar do camp de Anderson Silva

por: Leonardo Fabri | @Fabri89
em 4 de dezembro de 2018

Galvão e Anderson são parceiros de treinos e amigos de longa data – Foto: Marcelo Alonso

Amigo de longa data de Anderson Silva, André Galvão também tem uma ligação com Israel Adesanya, a quem graduou faixa-azul de Jiu-Jitsu em meados do ano passado. Mas para o duelo entre os pesos médios, marcado para o UFC 234, dia 09 de fevereiro em Adelaide, Austrália, o líder da Atos tem um lado.

“O Anderson é meu amigo há muito tempo, já me ajudou muito, é da família. Ele me convidou para ajudá-lo. No momento estou em uma turnê de seminários, a agenda realmente está apertada, mas assim que terminar, eu me junto ao camp dele”, revelou o treinador em entrevista ao PVT.

Israel Adesanya treina na filial da Atos em Auckland, Nova Zelândia, que é liderada por Eugene Bareman, um faixa-marrom de André Galvão. De acordo com o treinador brasileiro, o nigeriano está ciente de sua participação no camp do adversário.

“O Israel sabe muito bem disso, tanto que, assim que a luta foi anunciada, ele mesmo me mandou uma mensagem dizendo que entenderia muito bem se eu precisasse ajudar o Anderson para esta luta”, explicou. “O professor dele é meu aluno, tem muita experiência no MMA e no Kickboxing e segue a nossa didática de treino para Jiu-Jitsu. Como sou o líder da Atos, ele (Adesanya) acaba virando ‘meu aluno’, mas ele treina mesmo é com o Eugene.”

Em sua avaliação do confronto, Galvão faz coro à analogia de Adesanya, que disse recentemente que o duelo, comparado ao basquete, seria uma espécie de Michael Jordan x LeBron James, ou seja, um duelo de gênios de gerações diferentes.

“Os dois se parecem no aspecto físico, têm uma boa envergadura, são inteligentes lutando e podem surpreender a qualquer momento. O Anderson é mais experiente. Esta luta é tipo Michael Jordan x Lebron James”, reforçou. “Espero que esta seja uma das melhores lutas da história do MMA.”

Confira abaixo o bate-papo na íntegra:

PVT: Você deu a faixa-azul para o Adesanya. O que você pode exaltar nele partindo do fato de você ser um dos treinadores e conhecê-lo de uma forma que o grande público não conhece?

Galvão deu a azul para Adesanya em 2017 – Foto: Reprodução/Instagram Adesanya

André Galvão: O Israel é disciplinado, focado e tem um bom condicionamento físico, além de ser muito experiente no Kickboxing. Ele é rápido e inteligente na luta, sabe se defender bem no chão, é “escorregadio”. Ele tem o nível de faixa-azul no chão. Está fazendo o trabalho dele, e está indo muito bem. Ele é aluno de nossa filial Atos Jiu-Jitsu em Auckland, na Nova Zelândia. O professor dele é meu aluno, tem muita experiência no MMA e no Kickboxing e segue a nossa didática de treino para Jiu-Jitsu. Como sou o líder da Atos, ele (Adesanya) acaba virando ‘meu aluno’, mas ele treina mesmo é com o Eugene.

PVT: No chão, ele é bom passador, bom de guarda, bom de defesa? Na sua especialidade, como você o avalia?

André Galvão: Como eu disse, ele é bem escorregadio, sabe se defender e tem um bom nível técnico para o MMA. Ele tem a cabeça aberta e gosta de aprender. Vai sempre em todos os seminários quando a gente vai la visitar eles. Ele gosta de lutar.

PVT: Anderson x Adesanya: como você fica neste confronto? 

André Galvão: O Anderson é meu amigo há muito tempo, já me ajudou muito, é da família. Ele me convidou para ajudá-lo. No momento estou em uma turnê de seminários, a agenda realmente está apertada, mas assim que terminar, eu me junto ao camp dele. O Israel sabe muito bem disso, tanto que, assim que a luta foi anunciada, ele mesmo me mandou uma mensagem dizendo que entenderia muito bem se eu precisasse ajudar o Anderson para esta luta.

PVT: Quais as semelhanças entre eles que você aponta?

André Galvão: Os dois se parecem no aspecto físico, têm uma boa envergadura, são inteligentes lutando e podem surpreender a qualquer momento. O Anderson é mais experiente. Esta luta é tipo Michael Jordan x Lebron James.

PVT: Como apreciador de lutas, o que você espera deste duelo?

André Galvão: Acho que será um lutão, com muita trocação. Não acredito que a luta vá para o chão. Pode acontecer de eles se estudarem bastante durante a luta, mas assim que começarem a identificar as armas um do outro, o negócio vai ficar bonito de se ver. Espero que esta seja uma das melhores lutas da história do MMA.