Portal do Vale Tudo

Demian Maia salva noite brasileira, que teve Junior Cigano nocauteado e Jéssica Andrade dominada

por: Leonardo Fabri
em 14 de maio de 2017

Demian foi anunciado como próximo desafiante ao cinturão dos meio-médios - Foto: Josh Hedges

Demian foi anunciado como próximo desafiante ao cinturão dos meio-médios – Foto: Josh Hedges

Não deu para Junior Cigano e nem Jéssica Andrade. Desafiantes aos cinturões dos pesados e dos palhas, respectivamente, os brasileiros pararam nos atuais campeões de suas categorias na noite de sábado. Enquanto Cigano acabou nocauteado ainda no primeiro round por Stipe Miocic numa apresentação irreconhecível, Jéssica não conseguiu achar Joanna Jedrzejczyk, que em um monólogo levou a melhor via decisão unânime. Quem salvou a noite brasileira em Dallas, EUA, foi o meio-médio Demian Maia. Novamente eficaz no jiu-jítsu, o faixa-preta superou Jorge Masvidal por decisão dividida, chegou à sétima vitória consecutiva e foi anunciado como o próximo desafiante da categoria.

Irreconhecível, Cigano é nocauteado por Miocic no primeiro round

A revanche dos pesos pesados durou apenas 2 minutos e 22 segundos. Foi o suficiente para Stipe Miocic tomar conta do octógono, encurralar Junior Cigano, atordoá-lo e definir o combate a partir de um cruzado de direita que terminou com o brasileiro de quatro vulnerável aos sequentes golpes do campeão. Foi a segunda defesa de cinturão do norte-americano com raízes croatas, que já havia defendido o título contra Alistair Overeem. De quebra, Miocic ainda devolveu sua última derrota, que havia sido para o próprio Cigano, por decisão unânime, em dezembro de 2014.

Joanna vence Jéssica Andrade e mantém cinturão peso-palha

Jéssica Andrade não conseguiu desbancar a campeã Joanna Jedrzejczyk, que com mais um atuação irrepreensível defendeu pela quinta vez consecutiva o cinturão peso-palha do UFC. A brasileira até que iniciou bem a luta, apesar do maior volume de golpes da polonesa. Jéssica até conseguiu colocar Joanna para baixo uma vez, mas a campeã não se desesperou e se levantou rapidamente. A partir daí, foi um monólogo da polonesa, que passou a desferir inúmeros golpes retos acertando a desafiante com contundência muitas vezes com jabs, diretos, ponteiras no corpo e chutes altos que entraram em cheio na cabeça de Jéssica, que heroicamente absorveu todos. Porém, com a quantidade de golpes sofridos, a brasileira foi se desgastando e perdeu a energia para explodir, o que é a sua principal categoria. Na contramão, Joanna voltou a apresentar um condicionamento físico impressionante e manteve o ritmo de movimentação e volume de golpes até o fim, tendo o braço levantado por decisão unânime depois de cinco rounds.

 Demian supera Masvidal e confirma disputa de cinturão

Depois de sete vitórias consecutivas, Demian Maia finalmente foi confirmado como desafiante ao cinturão dos meio-médios. Sua vítima no UFC 211 foi Jorge Masvidal, que vendeu caro a derrota por decisão dividida. A maior parte do primeiro round foi de domínio do brasileiro. Como de praxe, ele grudou no oponente, foi para a grade e trabalhou até pegar as costas. Fechado, Masvidal conseguiu defender o pescoço e no final ainda tirou Demian da posição de vantagem e desferiu alguns fortes golpes até o gongo soar. No assalto seguinte, o norte-americano passou a tomar iniciativa e acertou potentes chutes em Demian, principalmente nas pernas. Porém, no finzinho, o faixa-preta de jiu-jitsu voltou a pegar as costas, novamente sem conseguir definir. O terceiro round também começou com ataques de Masvidal, mas na segunda metade Demian Maia pegou as costas mais uma vez, não conseguiu finalizar, mas ficou em posição de domínio até o final da luta, o que lhe rendeu a vitória por decisão dividida.

UFC 211

Dallas, EUA

13 de maio de 2017

Stipe Miocic venceu Junior Cigano por nocaute técnico aos 2m22s do R1;

Joanna Jedrzejczyk venceu Jéssica Bate-Estaca por decisão unânime (50-45, 50-44, 50-45);

Demian Maia venceu Jorge Masvidal por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28);

Frankie Edgar venceu Yair Rodríguez por nocaute técnico (interrupção médica) aos 5m do R2;

David Branch venceu Krzysztof Jotko por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28);

Eddie Alvarez e Dustin Poirier terminou sem resultado por conta de uma joelhada ilegal sem intenção de Alvarez;

Jason Knight venceu Chas Skelly por nocaute técnico aos 39s do R3;

Chase Sherman venceu Rashad Coulter por nocaute técnico aos 3m36s do R2;

James Vick venceu Marco Polo Reyes por nocaute técnico aos 2m31s do R1;

Courtney Casey venceu Jessica Aguilar  por decisão unânime (triplo 30-27);

Enrique Barzola venceu Gabriel Benítez por decisão unânime (triplo 29-28);

Gadzhimurad Antigulov finalizou Joachim Christensen com um mata-leão aos 2m21s do R1.