Portal do Vale Tudo

De volta aos treinos, Erick Silva faz planos para estrear em dezembro no Bellator

por: PVT | @portaldovt
em 31 de outubro de 2018

Brasileiro quer lutar no mesmo card que Lyoto x Rafael Carvalho Foto: Leonardo Fabri

Ex-lutador do UFC, Erick Silva teve uma rápida passagem pelo LFA, vencendo a única luta que fez na organização americana. Logo em seguida ele assinou contrato com o Bellator, evento rival do UFC. Sua estreia estava marcada para o dia 12 de outubro contra Lorenz Larkin, mas uma lesão na costela o tirou do confronto. O capixaba ainda não está 100% recuperado, mas esta semana ele voltou a fazer alguns treinos de manopla e está cuidando da parte física e técnica. A expectativa é começar a fazer treinos com mais contato na próxima semana.

“Minha recuperação está indo bem, estou sentindo poucas dores. Estou voltando devagar. Os médicos me deram dois meses para voltar aos treinos mais fortes, mas como a recuperação tem sido rápida, estou conseguindo fazer alguns treinos mais leves. Por enquanto só tenho feito um pouco da parte física e técnica. Ainda não consigo fazer treino de contato, porque ainda sinto dores na costela. Mas na próxima semana vou tentar fazer para saber como vou me sentir”, disse Erick.

Caso não sinta dores e os médicos o liberem, o peso meio-médio planeja pedir uma vaga no card do dia 15 de dezembro, que acontecerá em Honolulu, no Havaí.

“O meu desejo é lutar no Havaí, no mesmo card do Lyoto Machida. Mas, antes de falar com a organização do Bellator, eu preciso estar 100% para não iniciar um camp ainda machucado. Acredito que entre essa semana e a outra eu consiga ter uma certeza maior se conseguirei lutar ainda este ano”, explicou.

A estreia de Erick Silva contra Lorenz Larkin seria a luta reserva do GP dos meio-médios da organização. Com a saída de Erick, Larkin enfrentou Ion Pascu e venceu na decisão dos juízes. O brasileiro lamentou não ter enfrentado o americano, mas espera que no futuro o combate entre eles aconteça.

“O Larkin teria sido uma luta incrível pra mim, porque o jogo casa. Eu assisti o combate e lamentei muito não poder estar lá lutando contra ele. Eu tinha estudado muito o jogo dele, e tudo o que ele fez na luta eu estava preparado. Tenho certeza que se ele tivesse me enfrentado, o resultado teria sido diferente. Mas agora é olhar para frente. Eu ainda pretendo lutar contra o Larkin, não sei se seria este ano, mas no futuro acredito que este confronto aconteça”, encerrou.