Portal do Vale Tudo

Com ‘title-shot’ na mão, Patricky Pitbull não garante esperar por campeão e revela torcida por Brent Primus

por: Leonardo Fabri | @Fabri89
em 23 de fevereiro de 2018

O nocaute sobre Derek Campos ainda no primeiro round (assista no vídeo acima) no último final de semana rendeu a Patricky Pitbull a terceira vitória consecutiva no Bellator e, de acordo com o presidente da organização, Scott Coker, o direito de disputar o cinturão contra o vencedor de Brent Primus e Michael Chandler, luta marcada para o dia 13 de abril. Em entrevista ao PVT, o potiguar revelou seus planos para a sequência de 2018 e não garantiu que irá esperar pelo vencedor da revanche citada acima.

Patricky Pitbull emplacou a terceira vitória seguida – Foto: Bellator/Divulgação

“Eu estava fazendo os cálculos, creio que em agosto eu lutaria contra o vencedor dessa luta. Após a luta eu disse a eles que não queria ficar muito tempo parado este ano. Ano passado eu só lutei duas vezes. Se tudo der certo, agosto. Se acontecer algum imprevisto, essa luta será adiada, talvez para setembro, outubro, ou até mesmo para o final do ano, e eu não quero ficar esse tempo todo parado”, explicou. “Não sei se vou esperar isso tudo, não. Cheguei em casa de viagem e só fui dormir 3 horas da manhã pensando em luta, em treino… quase que eu não consigo dormir. Pensei que seria uma noite tranquila, pois cumpri meu dever, venci rápido, pensei que ia chegar em casa e descansar, ver minha família, mas não consegui. Minha cabeça estava quente, só pensando em treino e luta”.

Enquanto ainda não decide se espera pelo vencedor de Primus x Chandler ou faz mais uma luta antes, o peso leve brasileiro imagina o cenário ideal para o fim de 2018: título conquistado e defesa de cinturão contra rival.

“De preferência, eu prefiro lutar contra quem eu nunca lutei. Mas uma nova luta contra o Chandler eu não descarto nem agora, pelo cinturão, e nem numa defesa de cinturão. Na verdade, eu torço para que o Primus vença essa luta e, em seguida, eu me tornando campeão, que minha primeira defesa de cinturão fosse contra o Chandler. Esse é o meu desejo, a minha vontade, mas como eu não posso escolher e os dois vão lutar, me resta torcer para que o Primus vença o Chandler novamente”.

Além de ser campeão e defender o título contra Michael Chandler, para quem foi já foi derrotado duas vezes, o irmão mais velho de Patrício Pitbull, atual campeão peso-pena do Bellator, tem um outro sonho que, se tudo acontecer como o planejado, será realizado consequentemente:

Guts, honor and glory ! 🇧🇷 #Pitbullbrothers #bloodbrothers #bellator #bellatormma

Uma publicação compartilhada por patrickypitbull (@patrickypitbull) em

“Já são sete anos dentro da organização, ser campeão é reforçar meu nome na história. Tem outra coisa que nunca aconteceu na história do MMA: dois irmãos campeões na mesma organização. Nunca dois irmãos foram campeões ao mesmo tempo, ainda mais na mesma organização. Com isso, o Bellator entra para a história e meu irmão e eu também”.

Confira abaixo a entrevista completa:

PVT: Depois da vitória da semana passada, o Bellator garantiu que sua próxima luta será pelo cinturão?

Patricky Pitbull: Após a minha luta, o Scott Coker disse que eu vou pegar o vencedor da luta de Primus e Chandler. Então é só aguardar quem será o vencedor para marcarem a luta.

PVT: Quando mais ou menos espera que seja a luta entre você e o vencedor da luta entre eles?

Patricky: Eu estava fazendo os cálculos, creio que em agosto. Após a luta eu disse a eles que não queria ficar muito tempo parado este ano. Ano passado eu só lutei duas vezes. Se tudo der certo, agosto. Se acontecer algum imprevisto, essa luta será adiada, talvez para setembro, outubro, ou até mesmo para o final do ano, e eu não quero ficar esse tempo todo parado.

Não sei se vou esperar isso tudo, não. Cheguei em casa de viagem e só fui dormir 3 horas da manhã pensando em luta, em treino… quase que eu não consigo dormir. Pensei que seria uma noite tranquila, pois cumpri meu dever, venci rápido, pensei que ia chegar em casa e descansar, ver minha família, mas não consegui. Minha cabeça estava quente, só pensando em treino e luta.

PVT: Tem alguma preferencia na luta entre Primus e Chandler?

Patricky: De preferência, eu prefiro lutar contra quem eu nunca lutei. Mas uma nova luta contra o Chandler eu não descarto nem agora, pelo cinturão, e nem numa defesa de cinturão. Na verdade, eu torço para que o Primus vença essa luta e, em seguida, que minha primeira defesa de cinturão fosse contra o Chandler. Esse é o meu desejo, a minha vontade, mas como eu não posso escolher e os dois vão lutar, me resta torcer para que o Primus vença.

PVT: Qual a sua análise para a luta entre eles? Quem você acha que ganha?

Patricky: Acredito que Primus continue atrapalhando o jogo de Chandler. Chandler tem problema com cara mais alto do que ele, eu já percebi isso. Ele é um cara forte, bem preparado, mas contra o Will Brooks ele perdeu duas vezes porque o cara era mais alto do que ele. O único cara mais alto que ele venceu foi o David Rickels. Mas para o Will Brooks ele perdeu duas vezes. Outra coisa que eu percebi é que, quando ele perde para um cara, a probabilidade de ele perder de novo para esse mesmo cara é grande. Apesar do Primus ter tido meio que uma sorte, porque deu um chute na perna dele e ele torceu o pé, eu acredito que o Primus leve vantagem porque o Primus gosta de chutar e ele (Chandler) não gosta de chute, não digere bem, ele se atrapalha. Notei isso através de alguns parceiros que já treinaram com ele e assistindo outras lutas dele, como a última, que foi contra o Goiti Yamauchi, contra o Will Brooks e contra o próprio Primus. Ele se atrapalha um pouco, então acredito que o Primus vá explorar isso de novo.

PVT: Depois de sete anos no Bellator, acredita que seja o seu melhor momento, que é a hora de conquistar o cinturão?

Patricky: Acredito que sim. Já está mais do que na hora. São sete anos na organização e ser campeão para continuar fazer história. Tem outra coisa que nunca aconteceu na história do MMA: dois irmãos campeões na mesma organização. Nunca dois irmãos foram campeões ao mesmo tempo, ainda mais na mesma organização. Com isso, o Bellator entra para a história e meu irmão e eu também. E está mais do que na hora. Na única vez que me deram uma disputa de cinturão, eu fui para substituir um cara em cima da hora, mas agora eu estou preparado. Estou com tempo livre para me preparar para uma verdadeira luta de cinturão.

PVT: Após sete anos de sua primeira luta no Bellator, o que mudou?

Patricky: Muita coisa mudou. Acharia ótimo se o presidente fosse o mesmo desde o começo. Se fosse Scott Coker desde que eu entrei. Os atletas foram mais valorizados, a organização cresceu bastante, toda a produção, toda a estrutura, staff, tudo… é como se fosse outro evento. Muitas pessoas estão desde o começo da organização, mas muita coisa mudou, o evento está em outro patamar, está em outro nível. Quando eu entrei, era um evento para televisão, não fazia eventos em grandes ginásios, e hoje em dia trabalha para o dois, tanto para o público quanto para televisão. A estrutura nem se compara com a do passado, agora tem plataforma, telão, grandes lutadores, ícones do MMA.