download theme

Bonus for new user http://bet365.artbetting.gr 100% bonus by bet365.

bet365.artbetting.co.uk

Jungle Fight 77 tem card confirmado e novidades na luta principal

A edição de número 77 do maior evento de MMA da América Latina, que acontece dia 9 de maio no ginásio Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu-PR, teve seu card confirmado com novidades na luta principal. O atual campeão meio-pesado (até 93kg), Dirlei ‘Mão de Pedra’ vai defender o cinturão da categoria contra o uruguaio Alfonso Garrido, enquanto a disputa entre Nildo Katchal e Bruno Menezes, pelo cinturão peso-mosca, será o co-evento principal da noite. Diogo Fofão, que lutaria pelo cinturão peso-leve (até 70kg) contra Ciro Bad Boy, sofreu uma lesão e a disputa pelo título dos pesos-leves foi adiada.

Gaúcho, Direlei conquistou o cinturão ao vencer por decisão unânime o argentino Martin ‘La Máquina’, no Jungle Fight 74, em novembro de 2014. Com a vitória, o brasileiro chegou a décima segunda vitória na carreira contra apenas três derrotas. Com mais um sulamericano no caminho, o atual campeão está confiante e acredita que esteja apenas no início de sua jornada de sucesso. Para ele, o dono do cinturão será sempre o alvo da categoria e, por isso, treina forte para enfrentar os melhores.


“A luta só foi confirmada agora, mas eu sei que o dono do cinturão é sempre mais visado, por isso, treino diariamente jiu-jitsu, wrestling, muay thai, boxe. Seja qual for a modalidade, eu treino para enfrentar os melhores”, disse.

Lutando praticamente em casa e com a torcida a seu favor, o atleta do sul do país acredita que o combate seja muito disputado e manda um recado para seu desafiante.

“Vai ser um show para o público e espero que todos gostem da nossa luta. Sei que meu adversário é muito versátil e completo, mas espero finalizar ou nocautear para vencer o combate”, finalizou.

Entretanto, o desafiante promete não dar moleza ao atual campeão. Há muito tempo esperando a oportunidade de se tornar campeão do maior evento de MMA da América Latina, Alfonso Garrido, que tem cinco vitórias e uma derrota na carreira, garante que vai mostrar toda a garra dos lutadores uruguaios.

“A vida trouxe essa oportunidade que eu tanto estava esperando. Acho que Deus sempre nos coloca em situações que somos capazes enfrentar e não vou deixar passar essa oportunidade Chegou meu momento. A garra uruguaia vai prevalecer”, garantiu.

Presidente da organização, Wallid Ismail espera que o evento repita o sucesso que teve na última vez que passou pela cidade paranaense, quando lotou os hotéis e bateu a audiência do futebol na TV a cabo.

“A expectativa para o Jungle Fight 77 é a melhor do mundo. Estamos muito felizes com a transmissão do portal Uol, da Band Sports e da Band aberta. Espero que os lutadores deem show novamente e repitam o que aconteceu no último evento em Foz do Iguaçu, onde fomos líderes de audiência e movimentamos o turismo da cidade”, afirmou Wallid.

Leia mais ...

Pupilo de Marcos Pezão e novo campeão do Jungle, Bruno Lopes revela inspiração em Cain Velasquez

No último dia 11 de abril, o Jungle Fight conheceu seu novo campeão meio-médio. Em duelo de invictos, o brasileiro Bruno Lopes levou a melhor sobre o americano Jose "Suavecito" Diaz na decisão dos jurados e, aos 21 anos de idade, conquistou o primeiro cinturão em sua carreira. Em entrevista exclusiva ao PVT, Bruno contou um pouco mais sobre sua origem e sobre como conheceu seu atual mestre, o lutador do UFC, Marcos Rogério Pezão.

"Eu comecei a treinar em Cotia, comecei a treinar kickboxing e participar de algumas competições. Como eu vinha competindo bastante, não tinha muito treino em Cotia. Aí o Luciano Salvador, que conhecia o Pezão do kickboxing há bastante tempo me indicou, e comecei a treinar aqui com o Pezão. Daí em diante, comecei no MMA amador, fiz bastantes lutas, e em 2013 eu entrei no MMA profissional".

Com um importante cinturão nas costas e mirando o sonho de chegar ao UFC, Bruno revelou o desejo de acompanhar Pezão na próxima viagem que o ex-TUF fizer aos Estados Unidos para treinar na American Top Team, onde estão alguns dos melhores meio-médios do mundo, como Robbie Lawler, Thiago Pitbull, Tyron Woodley, Hector Lombard, entre outros.

"Para mim é um sonho treinar lá. Querendo ou não, os tops da minha categoria estão lá. Eu queria ir esse ano, acho que não vai dar, mas no máximo ano que vem quero ir para lá passar pelo menos um ou dois meses", comentou o atleta.

Ciente do prestígio que atletas de destaque no Jungle Fight costumam ter com o UFC - Iuri Marajó, Ivan Batman, Elias Silvério, Kevin Souza, Renato Moicano, Rodrigo Monstro, Tiago Trator e muitos outros saíram do Jungle para o octógono mais famoso do mundo -, Bruno não escondeu a ansiedade para chegar ao evento de Dana White e dos irmãos Ferttita, mas mostrou pés no chão para não pular nenhum passo na carreira.

"Eu treino todo dia visando isso, entrar no UFC, mas sou funcionário do Jungle e o que mandarem eu fazer, eu faço. Se me mandarem fazer duas, três, quatro lutas, eu vou fazer, e na hora certa vai aparecer a oportunidade de lutar em um evento fora do Brasil".

Invicto em cinco lutas, e com duas vitórias e duas finalizações no cartel, o versátil Bruno Lopes elegeu ainda alguns atletas nos quais se inspira para traçar seu próprio estilo de luta.

"Gosto do Cain Velasquez. É um atleta completo. Rory MacDonald, José Aldo, são vários", contou o paulista.

Leia mais ...

Jungle Fight 77: Nildo Katchal coloca o cinturão peso-mosca em jogo contra Bruno Menezes

Nesta segunda-feira, o presidente do Jungle Fight, Wallid Ismail, confirmou a luta principal da edição número 77 do evento, que acontece dia 9 de maio, no ginásio Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu-PR. A disputa será pelo cinturão peso-mosca (até 57 kg) entre o desafiante Bruno Menezes e o atual campeão da categoria, Nildo Katchal. Na última vez que passou pela cidade paranaense, o Jungle Fight conseguiu superar a audiência do futebol na televisão - 0.43 do Jungle contra 0.38 do futebol. O evento terá transmissão, ao vivo, no Portal Uol, Band Sports e Band TV.

De acordo com Wallid, ele seleciona a dedo os guerreiros para lutarem na Arena Jungle. Para ele, a imparcialidade é fundamental para a credibilidade do Jungle.

 

“Por isso nossos campeões são legítimos. Aqui no Jungle Fight treinador não escolhe adversário para seu aluno”, garante Ismail.

Natural do Pará, Katchal defendeu o título, pela primeira vez, em sua terra natal, no Jungle Fight 75, em dezembro de 2014 e volta à Arena Jungle com a missão de manter o cinturão no seu estado. O paraense vem de 5 vitórias consecutivas e tem um cartel de 7 vitórias - 5 por nocaute - e apenas uma derrota.

“Se manter no topo é um desafio. Meu adversário tem um bom histórico de lutas, igual a mim. Porém, cada luta é uma luta e estou preparado para o que vier!”, disse o campeão.

Cheio de confiança na manutenção do título, Nildo considera sua equipe a melhor do Pará e destaca que Bruno não terá chances no confronto.

“Vou proporcionar a melhor luta que ele já teve, mas sinto dizer que é o máximo que ele vai conseguir. A vitória já é minha!” garantiu Katchal.

Bruno “The Talent” Menezes também vem de 5 triunfos consecutivos e um total de 14 vitórias e 5 derrotas. Baiano de Salvador, o desafiante acredita estar em boa fase e garante que vai ser uma excelente luta na Arena Jungle. Pelo menos nesse quesito, os dois concordam – vem aí um verdadeiro show para o público.

“Eu também venho de cinco vitórias consecutivas, então nós dois estamos em boa fase. Acredito que vá ser um show, quem tem a ganhar é o público. Os fãs de MMA podem esperar um confronto de dois guerreiros que vão dar o sangue dentro da Arena”, garantiu.

Bruno treina com o mestre Luiz Dória em Salvador e, no Rio de Janeiro, realiza seu camp na Team Nogueira. Confiante que está entre os melhores, ele vê sua luta em pé superior a do atual campeão - é com essa estratégia que pretende conquistar o cinturão da divisão dos pesos-moscas.

"Vou partir para trocação! Nildo é muito duro mas chegou o meu momento, quero dar um passo maior na minha carreira”, disse confiante.

Menezes ainda deixou um recado para o atual campeão. Segundo ele, Katchal terá uma encrenca maior do que imagina.

“Não caí de paraquedas nessa disputa. Estou esperando essa oportunidade há muito tempo e ela chegou. Vou bater muito nele”, finalizou.

Confira o card parcial do Jungle Fight 77:

Nildo "Katchal" Nascimento (Roxo Striker) x BRUNO MENEZES (CHAMPION TEAM) - Cinturão peso Mosca (57 kg)
Ciro "Bad Boy" Rodrigues (Kimura NU) x Diogo "Fofão" Cavalcanti (Constrictor Team) - Cinturão peso Leve (70kg)
Douglas Bertazine (CT MIGUEL REPANAS) x Djatmiko Waluyo (México) 77kg
Richard Godoy (Thai Brasil / Foz do Iguaçu) x Dallys Moraes (Helluz Team - Paraguai) 66kg
Rander Junio (Constrictor Team) x Tiago Alves (Tiago Alves Team) 70kg
André Lobato (Lobato Team) x Martin "La Maquina" Ottaviano (Fredy Sukata Team / Argentina) 84kg
Fernando Duarte Guerra (Ferfight Brothers / CM System) x Francisco Valdines Silva (Pitbull Brothers) 66Kg
Douglas Moura (Team Nogueira RJ) x Handesson" Boy doido" Ferreira (Kimura NU) 77kg

Leia mais ...

Surto de dengue quase tira campeã Ericka Almeida do Jungle Fight 76

Após defender com sucesso o cinturão peso-palha feminino do Jungle Fight, no último sábado (11/04), em Itu-SP, Ericka Almeida revelou que um surto de dengue em sua cidade, por pouco, não a deixou fora da luta. Com medo que a notícia soasse como desculpa em caso de uma eventual perda do título, a brasileira preferiu manter segredo e chegou a gravar imagens para o evento durante seu repouso. Foram momentos de muita preocupação e nervosismo.

“Se o evento fosse no dia 28, eu não teria condições de lutar. Tive muita sorte, parece que foi Deus que mudou a data da luta para dar tempo de me recuperar, voltar a treinar, voltar na dieta para bater o peso de novo e lutar bem. O countdown foi no meu repouso. Fiquei com medo de ter um treco na gravação batendo manopla. Dei um miguezinho na musculação, pedi pro rapaz não filmar o peso que eu estava pegando. Foi muito nervosa essa parte, ficamos muito preocupados. Mas graças a Deus deu tudo certo”, revela a campeã.

Assim como Ericka, Jennifer Gonzalez também vinha com um cartel invicto e o combate foi bastante movimentado, tanto na parte em pé, quanto no solo. Mesmo com uma duríssima adversária, a brasileira dominou o confronto e conseguiu manter o cinturão ao melhor estilo Ericka Almeida: jiu-jitsu apurado. Para ela, os confrontos femininos da noite deixaram o presidente da organização e o público impressionados.

“Acho que todos que assistiram, seja no ginásio ou de casa, gostaram muito. Foi uma luta bastante movimentada. Com certeza era o que o Wallid, nosso presidente, esperava e estava procurando. O público gosta de ação e a luta foi muito ativa tanto no chão quanto na parte em pé. Acredito que todos tenham gostado e se impressionado não só com essa luta, mas com as duas lutas femininas da noite”, disse.

Há dois meses obedecendo uma dura rotina de treinos e dieta regrada, Ericka só pensa em comemorar. Mas só nesta semana pós luta. Para ela, a sequência do trabalho forte é fundamental para a manutenção do título, já que se manter no topo é sempre mais complicado.

“Agora quero comemorar minha primeira defesa bem sucedida de cinturão. Quero comer bastante essa semana. Passei meu aniversário sem comemorar, sem comer bolo. Não comi chocolate na Páscoa. Então, essa semana vou comemorar a defesa do cinturão, meu aniversário e a Páscoa. Depois eu volto com os treinamentos, pois agora sou o alvo da categoria e preciso estar preparada”, comentou a brasileira.

Projetando seu futuro, Ericka garante que a ida pro UFC não é prioridade. Para ela, o trabalho bem realizado hoje, no Jungle Fight, é a chave para o sucesso no futuro. Sem pressa e bastante tranquila, ela pretende defender o título do Jungle por mais algumas vezes.

“Todos me perguntam se eu vou pro UFC. É claro que a gente tem esse sonho, é um objetivo pra qualquer atleta profissional migrar para o maior evento do planeta. Mas eu penso muito no hoje, porque tudo que eu faço bem feito agora, vai repercutir lá na frente e o UFC vai ser consequência de um trabalho bem realizado no Jungle Fight.

Sobre sua próxima defesa de cinturão, a atleta de Sorocaba acredita que outra brasileira possa pintar como desafiante.

“Acredito que venha uma defesa de título com a Amanda Ribas, já que é uma candidata em potencial, também está invicta, cheia de vitórias e venceu a Aline Sattelmayer dominando o combate. Mas isso é com o Wallid e, independentemente de quem ele selecionar, eu vou estar preparada, pode vir qualquer uma!”, finalizou.

Leia mais ...

Jungle Fight volta a Foz do Iguaçu com disputa de cinturão peso leve

O maior evento de MMA da América Latina está de volta a Foz do Iguaçu. Pela terceira vez na cidade paranaense, O Jungle Fight 77 acontece dia 9 de maio no ginásio Costa Cavalcanti com a disputa do cinturão vago dos pesos-leves (até 70kg) entre Ciro Bad Boy e Diogo Fofão – o antigo campeão, Thiago Trator, assinou com o UFC.

O local traz boas lembranças à organização do evento. Em março de 2014, última vez que Foz do Iguaçu sediou o Jungle Fight, o Sportv Combate bateu a audiência do futebol, feito inédito para o MMA nacional.

“Estou muito feliz do Jungle Fight voltar a Foz do Iguaçu pela terceira vez. Na última oportunidade que estivemos por lá, superamos o futebol na audiência do Sportv – 0.43 do Jungle contra 0.38 do futebol. Espero, mais uma vez, agora na Band, ter uma grande audiência”, comemorou Wallid Ismail, presidente da organização.

Foz do Iguaçu entrou de vez no hall de grandes eventos esportivos e isso agrega valor, pois movimenta o turismo local e a cidade como um todo. Sem falar da mídia positiva que o Jungle Fight traz a nível de visibilidade.

“O Jungle Fight, sem dúvida nenhuma, entra nessa questão dos grandes eventos. No ano passado, foi um sucesso com lotação máxima do ginásio e isso trouxe um retorno muito positivo para nós e também para o crescimento do MMA, já que o Jungle Fight é a maior competição do esporte na América Latina. Temos um carinho especial pelo presidente Wallid Ismail e foi gratificante conseguir trazer o evento, pela terceira vez, para nossa cidade”, disse o secretário de esportes de Foz do Iguaçu, Anderson de Andrade.

Feliz com o retorno do Jungle a Foz do Iguaçu, Wallid comentou sobre a importância que o evento tem para o turismo das cidades em que promove seus combates.

"A expectativa é a maior do mundo e eu fico feliz de chamar atenção e atrair o turismo para essas cidades onde o Jungle Fight realiza os eventos”, disse.

Andrade lembrou muito bem do importante papel social que o Jungle Fight tem junto à sociedade. Além de contribuir para o crescimento dos atletas que podem dar uma vida melhor para suas famílias através do esporte, a organização sempre arrecada alimentos em troca dos ingressos – a iniciativa traz benefícios para milhares de famílias que passam necessidades.

“É um evento que a gente consegue agregar muito na parte social. Os ingressos são gratuitos e a gente arrecada um quilo de alimento em troca do bilhete. Ano passado, conseguimos ajudar muitas famílias e esse ano não vai ser diferente. Desde o momento que fechamos a data, a procura está sendo muito grande, graças ao sucesso das edições anteriores. Não temos dúvidas que vai ser igual ou melhor do que foi ano passado”, finalizou o secretário.

Confira abaixo o card provisório do evento (sujeito a alterações):

Jungle Fight 77
Sábado, 09 de maio de 2015
Foz do Iguaçu, Paraná

Ciro "Bad Boy" Rodrigues (Kimura NU) x Diogo "Fofão" Cavalcanti (Constrictor Team) - Cinturão peso Leve (70 kg)
Douglas Bertazine (CT MIGUEL REPANAS) x Djatmiko Waluyo (México) 77kg
Rander Junio (Constrictor Team) x Tiago Alves (Tiago Alves Team) 70kg
Douglas Moura (Team Nogueira RJ) x Handesson" Boy doido" Ferreira (Kimura NU) 77kg
Richard Godoy (Thai Brasil / foz do Iguaçu) x Dallys Moraes (Helluz Team - Paraguai) 66kg
André Lobato (Lobato Team) x Martin "La Maquina " Ottaviano (Fredy Sukata Team/ Argentina) 84kg

Leia mais ...

Apontado por Rodrigo Minotauro como 'gênio', Jonas Bilharinho revela que só sai do Brasil para lutar no UFC

A volta de Mirko "Cro Cop" Filipović ao UFC foi o grande assunto do MMA mundial no último sábado. Porém, foi o prodígio do Team Nogueira Jonas Bilharinho quem roubou a cena do fim de semana. Com um nocaute devastador, que, com toda certeza, teria a assinatura do croata, Bilharinho derrotou, na cidade de Itú (SP), Fabiano Soldado ainda no primeiro round e faturou o cinturão dos pesos-penas (66kg) do Jungle Fight, seu segundo título no evento. Em março de 2014, o carioca havia conquistado a cinta de campeão dos galos (61kg) do Jungle ao derrotar Mario Israel por decisão dividida. Ainda no cage, Rodrigo Minotauro classificou o pupilo como "gênio".

A canelada de canhota à la Cro Cop na cabeça de seu adversário foi motivo de muita comemoração para “Speed”, que garantiu que o movimento foi exaustivamente treinado para o duelo. Jonas também revelou que a estratégia do chute surgiu após uma conversa com o treinador de muay thai.

“Como pessoa, fiquei muito feliz com esse nocaute, porque sou um canhoto nato, apesar de jogar nas duas bases. Nunca tinha nocauteado ninguém com um chute desses, ainda mais com um golpe só. Treinei pra caramba esse chute. A primeira vez que mostrei as lutas dele (Fabiano Soldado) para o Alex Gazé, ele falou que o Soldado caia muito com a cabeça para dentro e que ele bateria o rosto de encontro com o meu chute de esquerda. Essa foi a minha opção número um para o nocaute, treinei exaustivamente isso. Está longe de ter sido sorte, foi fruto de muito estudo e treinamento”, disse o lutador que está invicto em sua carreira, com seis vitórias e um empate.

Entusiasmado com a conquista do seu segundo título no evento, o peso-pena não escondeu a felicidade por fazer história no MMA nacional, mas procurou manter a serenidade quando o assunto foi sobre uma possível ida para o UFC.

“É muito importante para mim ser o primeiro atleta campeão em duas categorias diferentes do Jungle Fight, é um marco para a minha carreira e também para a minha equipe (Team Nogueira). É uma felicidade enorme ter podido trazer essa conquista para o meu time. O Jungle é uma referência no mundo do MMA, e quando falarem do Jungle, vão sempre se lembrar que o primeiro campeão em duas categorias do evento fui eu. Já recusei vários convites para lutar em eventos internacionais, mas não tenho pressa, meu foco é o UFC. Só saio para lutar fora do Brasil, se for no UFC. Quando o Dana White quiser me fazer o convite, estarei à disposição”

Como nem tudo são flores, o atleta do Team Nogueira acabou lesionando o joelho e saiu mancando do combate. Foi ventilada a hipótese da lesão ter sido causada devido a intervenção enérgica do árbitro central do combate, Flávio Almendra. Porém, Bilharinho fez questão de isentar o juiz de qualquer responsabilidade e o elogiou pela atuação.

“Muita gente está achando que machuquei o joelho na intervenção do Flávio Almendra, mas não foi. Me machuquei em chute muito forte de direita do Soldado. Cheguei a fazer o bloqueio, mas o chute foi tão forte, que acabou machucando o meu joelho e perna dele também. No afã de comemorar a vitória, acabei dando um mortal e isso acabou forçando o joelho mais ainda. Mas fiz alguns exames e não foi nada grave, foi apenas um inchaço devido a pancada mesmo. Também quero elogiar a participação do Almendra na interrupção da luta, ele foi perfeito e preservou a integridade física de ambos os lutadores. Deixo os meus parabéns para ele”.

Outro pupilo de Minotauro também venceu

IMG 2182

Outro lutador a representar o Team Nogueira na 76ª edição do Jungle Fight, Diego Barbosa não decepcionou e, contando com o importante auxílio de Rodrigo Minotauro em seu córner, venceu Bruno Tavares por decisão dividida. Com a importante vitória em sua estreia na organização presidida por Wallid Ismail, o paranaense chegou ao seu sexto resultado positivo na carreira.

Leia mais ...

Jungle Fight 76: primeira edição transmitida pela Band faz história e consagra três campeões

O Jungle Fight 76 correspondeu às expectativas e brindou o público presente no ginásio de Itu e os que assistiram à primeira transmissão do evento na Band, na última madrugada. Das 11 lutas de MMA, apenas três precisaram ser decididas pelos juízes laterais. Nas outras nove, os vencedores finalizaram ou nocautearam, para a alegria do presidente da organização, Wallid Ismail. Na luta principal, Bruno Lopes dominou José Diaz Suavecito e conquistou o cinturão da categoria meio-médio. Na co-principal, Ericka Almeida finalizou Jennifer Gonzales com um triângulo na montada ainda no primeiro round e manteve o cinturão peso-palha. Também no primeiro round, Jonas Bilharinho nocauteou Fabiano Soldado com um chute alto e faturou o título peso-pena; como ele já era o campeão peso-galo, ele se tornou o primeiro lutador da história do evento a ser campeão em duas categorias diferentes.
 
Brasileiro acaba com hegemonia de mexicano
 
José Diaz Suavecito vinha sendo um visitante nada agradável para os lutadores brasileiros. Paulista, Bruno Lopes teve a missão de parar o mexicano, e cumpriu com sucesso. Desde o primeiro round ele se sobressaiu com combinações e vantagem no clinch, além de levar a luta para baixo e controlar as posições no solo com certa facilidade. Os rounds seguintes não foram muito diferentes, e a vantagem do brasileiro só foi ampliada. A vitória veio através da decisão unânime dos juízes laterais. Com isso, o invicto Bruno Lopes herdou o cinturão peso meio-médio do Jungle Fight, que antes pertencia a Elizeu Capoeira, hoje no UFC.
 
Ericka Almeida mantém cinturão
 
IMG 3062
 
Ericka Almeida não precisou de muito tempo para defender o cinturão peso-palha do Jungle Fight. Em menos de dois minutos de combate a paulista de Sorocaba obrigou a chilena Jennifer Gonzalez a ir para o solo. Na zona de conforto, a brasileira montou com facilidade e encaixou um justo triângulo, que fez a desafiante bater. Foi a primeira defesa de Ericka Almeida, que sagrou-se campeão em setembro do ano passado. Foi a sétima vitória da peso-palha, a sexta através do jiu-jitsu.
 
Jonas Bilharinho faz história
 
IMG 2791
 
Não bastasse ser campeão peso-galo do Jungle Fight, Jonas Blharinho decidiu encarar o desafio de disputar o título da categoria de cima, e não decepcionou. Diante do experiente e duro Fabiano Soldado, Bilharinho precisou de apenas um minuto e 26 segundos para aplicar um chute preciso na cabeça de Fabiano Soldado, que caiu imediatamente nocauteado. Foi a sexta vitória da carreira do invicto lutador, a quarta por nocaute.
 
Confira abaixo os resultados completos:
 
Jungle Fight 76
Itu, São Paulo
Sábado, 12 de abril de 2015
 
CARD PRINCIPAL
 
Bruno Lopes venceu José Diaz Suavecito por decisão unânime (triplo 30-27)
Ericka Almeida finalizou Jennifer Gonzalez com um triângulo na montada a 1m52s do R1
Jonas Bilharinho nocauteou Fabiano Soldado a 1m26s do R1
Álvaro Correa nocuteou Arthur Ribas a 1m48s do R1
 
CARD PRELIMINAR
 
Diego Barbosa venceu Bruno Beirute por decisão dividida (28-29, 29-28 e 29-28)
Amanda Ribas venceu Aline Sattelmayer por decisão unânime (triplo 30-27)
Herbeth Reis finalizou Diego Paiva com uma guilhotina aos 38s do R3
Israel Ottoni finalizou Leandro Apagão com um mata-leão aos 4m09s do R2
Ariston França venceu Carlos Eduardo Carlim por nocaute técnico a 1m02s do R3
Danilo Adreani finalizou Alves com uma chave de braço a 1m54s do R2
Willian Kuraça venceu Junior Pica Pau por nocaute técnico aos 3m45s do R3
Leia mais ...

Jungle Fight 76: edição especial do evento tem 3 cinturões em disputa e transmissão em TV aberta

O Jungle Fight deste sábado será histórico. Não bastasse ser a primeira edição transmitida em TV aberta - pela TV Band -, o presidente da organização, Wallid Ismail, ainda colocou três cinturões em disputa: na luta principal, os invictos José Suavecito e Bruno Lopes lutam pelo título dos meio-médios; na co-principal, a campeã Ericka Almeida defende o título contra Jeniffer Gonzalez; e, no primeiro cinturão em disputa da noite, Jonas Bilharinho e Fabiano Jacarezinho se enfrentam pelos pesos-penas. O evento acontece na cidade de Itu, interior de São Paulo.

Disputa até 77 kg - Paulista tem a misssão de parar carrasco brasileiro

O cinturão da categoria dos meio-médios ficou vago após a saída de Elizeu Capoeira, que foi contratado pelo UFC. Com isso, o posto de campeão será disputado por dois lutadores que, no Jungle Fight, jamais deixaram uma luta ir à decisão dos jurados. Tanto José Suavecito quanto Bruno Lopes venceram todas as lutas que fizeram dentro da organização por nocaute ou finalização. Paulista, Bruno Lopes tenta quebrar a hegemonia de Suavecito contra lutadores brasileiros. Até hoje o mexicano fez quatro vítimas.

Disputa até 52 kg - Duelo de invictas

IMG 6452

O cinturão peso-palha feminino também será disputado por atletas que jamais perderam. Atual campeã da categoria, a paulista Ericka Almeida acumula seis vitórias em seis lutas, nenhuma delas por decisão. Foram cinco finalizações e um nocaute. Quem vai ter a missão de roubar o cinturão da brasileira será a chilena Jennifer Gonzales, que nocauteou a adversária na única luta profissional que fez. Será a primeira defesa de cinturão de Ericka Almeida, que conquistou o título em setembro do ano passado.

Disputa até 66 kg - Velhos conhecidos da "Selva"

IMG 6431

O cinturão dos pesos-penas do Jungle Fight ficou vago após a saída de Alexandre Capitão, que deve ser contratado pelo UFC nos próximos meses. Os candidatos ao posto de campeão são dois velhos guerreiros da organização: Jonas Bilharinho e Fabiano Soldado. Inclusive, Bilharinho pode entrar para a história do evento. Caso vença neste sábado ele se torna o primeiro atleta da companhia a ser campeão em duas categorias, já que detém o título dos galos. Soldado, por sua vez, já disputou o título dos penas, mas acabou nocauteado por Kevin Souza, hoje no UFC.

Novidade

Ao todo, a 76ª edição do Jungle Fight promoverá 11 lutas de MMA. A novidade deste card é a presença de uma luta de kickboxing, que abre as ações do evento. O duelo, entre Samuel Pereira e Anderson Buzika, vale o cinturão interino até 66,8 kg da Confederação Brasileira de Kickboxing.

Confira abaixo o card completo do evento:

Jungle Fight 76:
Data: 11 de abril de 2015
Horário: 22:30h (de Brasília)
Local: Ginásio Municipal Prudente de Moraes, Itu-SP

Bruno Lopes (011 Team) vs José "Suavecito"Dias (Cleber Jiu-Jitsu/USA) - Cinturão até 77kg
Erika Almeida (Herman Gutierrez Team) vs Jennifer Gonzales (Nigue Team/Chile) - Cinturão até 52kg
Jonas Bilharinho (Team Nogueira) vs Fabiano "Soldado" Fernandes (XGym) - Cinturão até 66 kg
Alvaro Damian (Top Brothers/Paraguay) vs Arthur Ribas (Marcelo Ribas/Nova União) - 77kg
Diego Barbosa (Team Nogueira ) vs Bruno Beirute (Bronx Gold Team) - 66kg
Amanda Ribas (Marcelo Ribas Team) vs Aline Sattelmayer (Sattelmayer Top Team STT) – 52kg
Diego Paiva (Miguel RepanasTeam) vs Herbeth "Índio" Sousa (Constrictor Team) - 57kg
Israel Ottoni (Famila Komodo) vs Leandro dos Santos (Polêmico Team) - 61 kg
Carlos Eduardo (Dragon Fight/Nova União) vs Ariston França (Herman Gutierrez) – 61kg
Danilo Alves (Berg Team) vs Danilo Adrian (Colisão Jiu Jitsu) - 57 kg
Junior "Pica-Pau" Beguetto (Chute Boxe-Piraju ) vs Wilian Kuraçá (Jovens de Honra) - 70kg

Cinturão interino da Confederação brasileira de kickboxing:
Samuel Pereira (Ponto 1) vs Anderson Buzika (Inside Gold Team/Chute boxe) – 66.8Kg

Leia mais ...

Vídeo: Countdown do Jungle Fight 76 apresenta atletas das três disputas de cinturão do evento

Ao melhor estilo UFC, o Jungle Fight divulgou nesta quarta-feira um vídeo "aquecimento" para o Jungle Fight 76, que acontece neste sábado na cidade de Itu, interior de São Paulo. O card, primeiro evento transmitido em TV aberta da organização, terá três cinturões em disputa, em um total de nove lutas.

No vídeo, os atletas que farão as três lutas principais do evento falam um pouco sobre si e a expectativa para os respectivos duelos. São eles, Jonas Bilharinho, campeão peso-galo do Jungle, que enfrenta Fabiano Soldado pelo cinturão do peso-pena, Ericka Almeida e Jennifer Gonzales, que disputam o título do peso-palha, e Bruno Lopes e Jose Suavecito, que fazem a luta principal do evento, e brigam pelo cinturão vago dos meio-médios.

Confira o card completo do evento, e assista ao countdown para o Jungle Fight 76 ao final da nota.

Jungle Fight 76

Ginásio Municipal Prudente de Moraes, Itu, São Paulo

Sábado, 11 de abril, às 22 horas

Bruno Lopes x Jose Suavecito (pelo cinturão meio-médio)

Ericka Almeida x Jennifer Gonzales (pelo cinturão peso-palha)

Jonas Bilharinho x Fabiano Soldado (pelo cinturão peso-pena)

Alvaro Damian x Arthur Ribas

Diego Barbosa x Bruno Beirute

Diego Paiva x Herbert Índio

Israel Ottoni x Leandro dos Santos

Danilo Alves x Danilo Adrian

Junior Pica-Pau x Willian Kuraçá

Leia mais ...

Wallid Ismail exalta parceria com a Band e projeta: 'o Jungle vai passar para quase 100 milhões de casas'

Depois de anos no Canal Combate e, nos últimos tempos, no Sportv, o Jungle Fight inicia em 2015 a sua trajetória na televisão aberta. Na sua próxima edição, programada para o dia 11 de abril, em Itu, interior de São Paulo, o evento será transmitido para o Brasil todo através da Band. Presidente e fundador da organização, Wallid Ismail é só alegria quanto à nova fase: "o Jungle vai passar para quase 100 milhões de casas no Brasil", comemorou.

As novidades não param por aí. Depois de uma enxurrada de atletas de MMA flagrados no antidoping em todo o mundo, Wallid Ismail prometeu adotar o sistema de sorteio para testar atletas nas edições de seu evento: "estou na guerra para fazer um sorteio e chegar a dois lutadores para se testarem. Estou procurando, mas devo fazer aqui no Brasil mesmo. Mas chegando a Olimpíada a gente já vai ter laboratórios credenciados para fazer exames antidoping aqui no Brasil", explicou.

Com mais de dez anos de estrada, o Jungle Fight é conhecido como o evento brasileiro que mais exporta atletas para o UFC. E esse é o principal objetivo da organização. De acordo com Wallid Ismail, ele tem mais de 630 lutadores à disposição para fazer a máquina girar.

"Eu tenho os maiores guerreiros que não escolhem luta. Se vai um campeão (para o UFC), eu tenho mais dez na fila esperando. São lutadores que realmente querem dar uma vida melhor a suas famílias. Essa é a nossa missão: não parar de criar campeões. Eu não aceito as pessoas que saem do UFC, eu coloco os futuros campeões no UFC. E eu vou continuar falando na Band: eu tenho os melhores lutadores que não estão no UFC", garante.

Assista à entrevista completa no vídeo abaixo:

 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS