download theme

Bonus for new user http://bet365.artbetting.gr 100% bonus by bet365.

bet365.artbetting.co.uk

Jungle Fight anuncia disputa do cinturão dos penas: Jonas Bilharinho vs Fabriano Soldado

O card do Jungle Fight 76, marcado para 28 de março, em São Paulo, acaba de ganhar mais uma disputa de cinturão. Além do duelo entre Elizeu Capoeira, campeão dos meio-médios (até 77kg), e José Diaz "Suavecito", o evento terá a disputa entre Jonas Bilharinho e Fabiano Soldado, valendo o título dos pesos-penas (até 66kg), que está vago.

Considerado uma das principais revelações do Jungle Fight, Jonas Bilharinho, 24, fará a sua estreia entre os pesos-penas. O lutador, que se tornou campeão dos pesos-galos (até 61kg) após vencer Mário Israel em seu último duelo, poderá ser o primeiro lutador na história da organização a conquistar dois títulos em categorias diferentes.

"Quero buscar coisas novas, novos horizontes. Ninguém na história do Jungle conquistou dois cinturões diferentes, por isso é tão importante pegar um novo cinturao. É um desejo que eu tenho. E, além disso, não é novidade para ninguém a dificuldade que eu tinha para bater 61kg. Acho que essa mudança vai ser positiva, vou me desgastar menos e ficar mais forte e mais rapido que o restante da categoria", afirmou Bilharinho.

No entanto, Bilharinho não terá moleza pela frente. Do outro lado do cage estará o experiente Fabiano Soldado, com o expressivo cartel de oito vitórias e três derrotas. Essa será a segunda oportunidade de Soldado conquistar o título da categoria, já que na primeira chance acabou derrotado por Kevin Souza, no JFC 51.

"Já deixei escapar esse título e dessa vez não vai acontecer. Vou dar o meu máximo, estou naquele momento da carreira que é decisivo. Respeito o Bilharinho, sei que é um grande atleta, mas a minha hora é essa", afirma Soldado, de 32 anos.

O Jungle Fight 76 marcará a estreia do evento na TV aberta. O ex-atleta e presidente da organização, Wallid Ismail, firmou uma parceria com a TV Band e todos os eventos do JFC passarão a ser transmitidos ao vivo pela emissora. O card terá um total de 12 lutas, sendo as quatro primeiras pelo Jungle Comunidade, apenas com atletas de comunidades paulistas.

Leia mais ...

Jungle Fight é oficializado na Band e terá eventos transmitidos ao vivo

O Jungle Fight Championship acertou uma parceria com a TV Bandeirantes e terá todos os eventos de 2015 transmitidos ao vivo pela emissora. O anúncio oficial foi feito nesta terça-feira (24), em uma cerimônia organizada no Espaço Trivento, em São Paulo. 

A primeira edição do torneio a ser transmitida pela emissora será o Jungle Fight 76, marcado para o dia 28 de março, com três disputas de cinturões. Para Wallid Ismail, presidente do torneio, o acerto com a Band marca o início de uma nova fase do Jungle Fight e do MMA nacional. 

"Não tenho dúvidas que essa parceria será um marco na história do Jungle Fight e também do MMA. Quando o UFC estreou em TV aberta, há alguns anos, foi um boom aqui no Brasil. Vejo da mesma forma essa transição do Jungle para a Band. Estou montando um card especial para a edição do dia 28 de março, vamos ter três disputas de cinturões e vários duelos de qualidade. Vamos lutar para sermos líderes de audiência e provar mais uma vez que o MMA é a paixão nacional. Agradeço aos meus parceiros nessa empreitada, o Tutinha e o Pedro Assunção", afirmou Wallid Ismail.

Leia mais ...

Elizeu Capoeira treina para segunda defesa de título no Jungle Fight na expectativa de convite do UFC

No próximo dia 28 de março, o paranaense Elizeu Capoeira se prepara para sua segunda defesa do cinturão dos meio-médios do Jungle Fight, quando enfrentará uma das sensações do evento em 2014, o americano Jose "Suavecito" Diaz. Em entrevista exclusiva ao PVT, Elizeu, que defendeu seu título pela primeira vez no último mês de dezembro, falou sobre a proximidade entre os combates e a preparação para o novo desafio.

"Graças a Deus, minha preparação está sendo, acredito, que a melhor de todas. O Jungle mesmo me convidou para fazer esta nova luta. É pouco tempo, mas aceitei por estar bem preparado. Queria voltar logo mesmo a lutar e quero aproveitar que já venho num bom embalo para fazer mais esta luta com o Suavecito".

Suavecito estreou no Jungle em dezembro de 2013, quando tinha apenas uma luta no cartel, e vem mostrando a que veio na organização. Em suas quatro lutas no Brasil, quatro vitórias e nenhuma delas na decisão dos juízes. Elizeu disse que respeita a trajetória do oponente, mas garante que, desta vez, o buraco é mais embaixo.

"Acho que o jogo dele é um jogo bem estratégico, é um jogo completo, mas não me intimido. Eu também me preparo muito bem na parte de cima, na parte de grappling, no jiu jitsu, então vou para todo e com certeza vai ser uma grande luta, vai casar bem".

Motivado pela edição do UFC em Porto Alegre, no último domingo, que contou com uma série de atletas com passagem pelo Jungle (Ivan Batman, Douglas D'Silva, Tiago Trator, Adriano Martins, Iuri Marajó), Elizeu não escondeu que sonha com que a segunda defesa de cinturão - algo raro no evento - seja o fator determinante para sua ida ao maior evento de MMA do mundo.

"Acho que a oportunidade pode vir, mas tudo tem seu tempo. Como a gente viu no card do UFC neste último domingo, vários atletas do Jungle, e estou fazendo minha segunda defesa. Se não estou enganado, estou ficando na história do Jungle por estar fazendo duas defesas, acho que nenhum desses atletas fizeram mais defesas. Estou ficando para a história mesmo, gosto de lutar no Jungle e me sinto bem. Tudo depende do que o Wallid negociar, do que o Cristiano Marcello negociar. De repente, se houver oportunidade de lutar no UFC será uma grande honra. É o sonho de todo lutador, mas me sinto bem no Jungle. Quero fazer esta luta, só melhorar e vamos com tudo".

Leia mais ...

Conturbada história de campeão olímpico de wrestling, veterano do UFC, faz sucesso no cinema

O nome de Mark Schultz já é amplamente conhecido nos Estados Unidos, mas deve chegar a todo o resto do mundo a partir de 2015. Campeão olímpico de luta greco-romana na década de 1980, o lutador se tornou uma espécie de ídolo nacional em seu país e, este ano, tem sua história contada no filme "Foxcatcher - uma história que chocou o mundo", que já está em cartaz no Brasil e concorre a cinco estatuetas do Oscar.

O filme conta como Mark e seu irmão David se tornaram parte da poderosa equipe Foxcatcher de wrestling na preparação para as Olimpíadas de Seoul em 1988, onde Schultz defenderia sua medalha de ouro, conquistada em Los Angeles, quatro anos antes. Os dois se tornaram próximos do dono da equipe, o milionário excêntrico John Du Pont, que acabaria se tornando parte essencial da vida de Mark.

Já em 1996, com toda a fama que sua carreira no wrestling lhe proporcionou, Mark aceitou, com um dia de antecedência, uma vaga para enfrentar Gary Goodridge no UFC 9, por indicação de seu mestre no jiu jitsu, Pedro Sauer, e substituindo o lesionado Dave Beneteau. Detalhe: a luta ocorreu quatro meses após o irmão de Mark, David, ter sido assassinado por Du Pont. O evento foi acompanhado de perto por Marcelo Alonso, que contou com detalhes a história dos combates da noite na PVT Mag 46.

Aos 43 anos de idade, passando por dificuldades e tentando dar um último suspiro em sua carreira, Schultz chegou a competir em terras brasileiras e participou da primeira edição do Jungle Fight, em 2003, ao lado de nomes como Ronaldo Jacaré, Jorge Macaco, Fabrício Werdum, Gabriel Napão, Lyoto Machida, Ebenezer Braga e outras estrelas. Sua participação foi estimulada por Rico Chiaparelli, ex-rival nos tempos de wrestling, e ex-professor de lendas como Randy Couture e Dan Henderson, que mantinha uma amizade com o dono do evento, Wallid Ismail.

Leia mais ...

Elizeu Capoeira e José 'Suavecito' disputam cinturão dos meio-médios no Jungle Fight 76

A primeira edição do Jungle Fight em 2015, marcada para 28 de março, em São Paulo, terá a disputa de cinturão dos meio-médios (até 77kg), entre o brasileiro Elizeu Capoeira e o norte-americano de origem mexicana José Diaz "Suavecito". Os lutadores farão a luta principal do evento, que terá um total de 12 combates, sendo as quatro primeiras entre atletas de comunidades paulistas.

"O Jungle Fight vai continuar investindo nos melhores lutadores que não tenham contrato com eventos internacionais. Além disso seguiremos investindo no Jungle Comunidade, que é uma forma de utilizar o MMA como inclusão social e, também, de garimpar futuros campeões. Vamos continuar mostrando ao mundo que o Brasil é a terra da luta", afirma Wallid Ismail, ex-atleta e presidente do Jungle Fight.

Com um cartel de 14 vitórias - 11 nocautes, três finalizações e uma decisão - e quatro derrotas, Elizeu é considerado um dos principais lutadores da organização na atualidade. O curitibano conquistou o cinturão no Jungle Fight 75, em dezembro, após finalizar Eduardo Ramon, e fará a primeira defesa de título contra o norte-americano.

Suavecito, por sua vez, possui um card mais enxuto que o de Elizeu, no entanto, não menos expressivo. O lutador subiu no cage cinco vezes na carreira e jamais saiu derrotado. Pelo Jungle foram quatro vitórias, sendo três por finalização e uma por nocaute, o que o torna o atleta estrangeiro com mais vitórias na organização.

Além da disputa internacional de cinturão, o Jungle Fight 76 terá outras novidades interessantes. A principal delas será a realização de exames antidoping em dois lutadores após o evento, que serão escolhidos por sorteio, como acontece no futebol. Outra novidade será a quantidade de lutas no card, que passará a ter 12 combates por edição e terá uma duração, aproximada, de três horas.

Leia mais ...

Jungle Fight passará a testar seus atletas após doping de Anderson Silva

Em meio ao polêmico caso de doping de Anderson Silva, o Jungle Fight irá implementar uma novidade a partir da próxima edição, marcada para 28 de março, em São Paulo. Pela primeira vez, o maior evento realizará exames antidoping para testar a regularidade dos lutadores. O procedimento será semelhante ao que ocorre após partidas de futebol, quando pelo menos dois atletas são sorteados para realizar o exame. 
 
"Como eu sempre digo, o MMA tem que se profissionalizar. E é isso que estamos buscando com essa medida. Nós temos a nossa credibilidade. Nunca nenhum lutador que saiu do Jungle Fight foi pego em exames antidoping nos Estados Unidos e os dois brasileiros campeões do UFC passaram pelo Jungle. Mas mesmo assim eu acredito que essa iniciativa seja importante. O esporte deve ser praticado de maneira justa e limpa, então dessa forma eu vou garantir a todos que os lutadores do Jungle Fight estão dentro dos padrões mundiais", explica Wallid Ismail, ex-atleta e presidente do evento.  
 
No Brasil, raros são os eventos que se propõe a realizar exames antidoping em seus atletas. O principal motivo é o alto valor cobrado pelos laboratórios para a análise das amostras recolhidas. Apesar disso, Wallid vê com bons olhos o investimento e acredita que a novidade trará ainda mais credibilidade ao Jungle Fight e aos lutadores do evento. 
 
"Estou encarando isso como um investimento no Jungle Fight e no MMA nacional. Ninguém tem mais credibilidade que nós na América Latina. Agora, com essa novidade, vamos provar ainda mais o nosso valor. Também vai ser importante para os lutadores brasileiros perceberem a importância de uma boa preparação, sem o uso de anabolizantes. Nossos lutadores vão estar prontos para lutar a qualquer momento em qualquer evento do mundo. Essa é a diferença", afirma Ismail. 
 
Ex-campeões do Jungle elogiam iniciativa
 
Ronaldo Jacaré e Erick Silva, ex-campeões do Jungle Fight que atualmente brilham no UFC, elogiaram a iniciativa de Wallid Ismail e ressaltaram a importância dos testes. 
 
"O Jungle está de parabéns pela atitude, não tenho dúvidas que vai ser muito importante para o evento e para o MMA nacional", afirma Jacaré. 
 
"Todas as iniciativas para o bem do esporte são positivas. Uma das nossas brigas é para que a luta seja melhor aceita nas famílias, por isso esse controle é importante", ressaltou Erick. 
Leia mais ...

Jungle Fight fecha o ano com duas disputas de cinturões no próximo dia 18, em Belém

Para fechar o ano de 2014 com chave de ouro, o Jungle Fight promoverá um evento no próximo dia 18, em Belém-PA, novamente, com duas disputas de cinturões. Nildo Katchal, campeão dos pesos-moscas (até 57kg) e Elizeu Capoeira, campeão dos meio-médios (até 77kg), defendem os respectivos cinturões contra Wylk Leandro e Eduardo Camelo. 
 
"Vamos fechar o ano com tudo, o card está muito bom. Fizemos questão de colocar os melhores para lutar. O Nildo (Katchal) e o Elizeu (Capoeira) são grandes lutadores, são duas realidades do MMA mundial e estou muito ansioso para vê-los nessa primeira defesa de cinturão. Além deles vamos ter o ex-campeão Rayner Silva e vários outros atletas de ponta. Tenho certeza que será um grande show", afirmou Wallid Ismail, ex-atleta e presidente do evento.  
 
Quem também se mostrou empolgado com o evento foi Giovanni Maiorana, presidente de honra do Jungle Fight em Belém.
 
"Estamos preparando uma grande estrutura para esse show, tenho certeza que os paraenses vão lotar o ginásio UEPA para apoiar os talentos do Pará. O estado já teve há pouco tempo três campeões do Jungle, o Nildo, Rodrigo Monstro e Larissa, que foram para o UFC. Essa população respira o MMA, o amor pelo esporte é incrível", afirmou Giovanni Maiorana.
 
O duelo principal será o de Nildo Katchal, que é natural de Belém e deverá contar com uma grande torcida a seu favor. O atleta, de 25 anos, conquistou o cinturão no Jungle Fight 69, em maio, após vitória sobre Rayner Silva. Seu cartel é de seis vitórias, uma derrota e um "no contest" (sem resultado). Já Wylk Leandro, que fará a sua estreia na organização, possui um cartel de 10 vitórias e uma derrota.
 
A outra estrela da noite, o paranaense Elizeu Capoeira possui um cartel de 13 vitórias e quatro derrotas, e é considerado um nocauteador nato. Foi desta forma que ele superou Itamar Rosa e ficou com o cinturão dos meio-médios, no Jungle Fight 71, em julho. No entanto, para manter o título, Elizeu terá que fazer o que ninguém jamais conseguiu: vencer Eduardo Camelo, que está invicto na carreira, com nove triunfos.
 
Outras cinco lutas já estão confirmadas, incluindo o ex-campeão Rayner Silva, que enfrenta Deivison Alcântara. Este será o primeiro combate do atleta de Manaus após a perda do cinturão. Confira abaixo o card completo:
 
Jungle Fight 75
Local: Belém, Pará
Data: 18/12/2014
Transmissão: Combate, ESPN e SporTV
 
Nildo Katchal (Roxo Striker) vs Wylk Leandro (Domínio JJ/ Black House/ Attak Team) - Cinturão até 57kg
 
Elizeu Capoeira (CM System) vs Eduardo Camelo (Coalizão Team) - Cinturão ate 77kg
 
Lucas Nunes (Marajó Brothers) vs Gaston Manzur (Niguel Team/Chile) - até 61kg
 
Roberto "Carioca" Silva (Marajó Brothers) vs Jamil Silveira (Dragon Fight/Nova União) - até 66kg
 
Tyago Buda(Pitbull Brother) vs Luis Lobato (Lobato Team) - até 84kg
 
Deiveson "Daico" Alcântara (Coalizão Team) vs Rayner Silva (Oreon Fight) - até 57kg
 
Rafael Alves (Marajó Brothers) vs Samuel Paiva (Dragões Negros) - até 66kg
Leia mais ...

Em último evento de 2014, Jungle Fight coloca dois cinturões em disputa no Pará

No último evento do ano, agendado para o dia 18 de dezembro em Belém, no Pará, o Jungle Fight coloca em disputa os cinturões dos pesos mosca e meio médio, com as lutas entre Nildo Katchal x Wylk Leandro e Elizeu Capoeira x Eduardo Camelo, respectivamente.
 
"Vamos fechar o ano com tudo, o card está muito bom. Fizemos questão de colocar os melhores para lutar. O Nildo (Katchal) e o Elizeu (Capoeira) são grandes lutadores, são duas realidades do MMA mundial e estou muito ansioso para vê-los nessa primeira defesa de cinturão. Além deles, vamos ter o ex-campeão Rayner Silva e vários outros atletas de ponta. Tenho certeza que será um grande show", afirmou Wallid Ismail, presidente do evento.  
 
O duelo principal será o do atleta da casa Nildo Katchal, que deverá contar com uma grande torcida a seu favor. O lutador de 25 anos conquistou o cinturão no Jungle Fight 69, em maio, após vitória sobre Rayner Silva. Seu cartel é de seis vitórias, uma derrota e um "no contest". Já Wylk Leandro, que fará a sua estreia na organização, possui um cartel de 10 vitórias e uma derrota na carreira.
 
A outra estrela da noite, o paranaense Elizeu Capoeira possui um cartel de 13 vitórias e quatro derrotas, e é considerado um nocauteador nato. Foi desta forma que ele superou Itamar Rosa e ficou com o cinturão dos meio-médios, no Jungle Fight 71, em julho. No entanto, para manter o título, Elizeu terá que fazer o que ninguém jamais conseguiu: vencer Eduardo Camelo, que está invicto na carreira, com nove triunfos.
 
Outras cinco lutas já estão confirmadas, incluindo o ex-campeão Rayner Silva, que enfrenta Deivison Alcântara. Este será o primeiro combate do atleta de Manaus após a perda do cinturão. O evento será transmitido pelos canais Combate, ESPN e SporTV.
 
Jungle Fight 75
 
Quinta-feira, 18 de dezembro
 
Belém, Pará
 
 
Nildo Katchal x Wylk Leandro (pelo cinturão peso mosca)
 
Elizeu Capoeira x Eduardo Camelo (pelo cinturão peso meio médio)
 
Lucas Nunes x Gaston Manzur
 
Roberto "Carioca" Silva x Jamil Silveira
 
Tyago Buda x Luis Lobato
 
Deiveson "Daico" Alcântara x Rayner Silva
 
Rafael Alves x Samuel Paiva
Leia mais ...

Jungle Fight 74 coroa Júnior Alpha e Dirlei Mão de Pedra campeões médio e meio pesado

O Jungle Fight colocou em disputa neste sábado, em São Paulo, os cinturões dos pesos médio e meio pesados da organização, que estavam vagos, e conheceu dois novos campeões da organização: Júnior Alpha, até 84 quilos, e Dirlei Mão de Pedra, até 93. 

Dirlei poupa Mão de Pedra e se aproveita da confiança de argentino no jiu jitsu

A luta principal do evento foi um confronto Brasil x Argentina entre o gaúcho Dirlei Broenstrup e o argentino Martin "La Maquina" Ottaviano. A princípio, a proposta de ambos era clara: enquanto o brasileiro buscaria a trocação, o argentino tentaria levar a luta para o solo. O que ninguém esperava é que Martin estivesse tão determinado a usar seu jiu jitsu, que puxasse Dirlei para dentro de sua guarda em diversas ocasiões. Atento às instruções de seu corner, que o alertava para a movimentação do argentino no chão, Dirlei aceitou a luta e passou grande parte dos 15 minutos de combate pontuando com um ground and pound tímido, e neutralizando o adversário no solo. No fim, vitória de forma unânime nos três rounds para o brasileiro.

Explosivo e contundente, Júnior Alpha leva cinturão sem suar

Assessorado por Yuri Carlton, o baiano Júnior Alpha não quis saber de estudar Douglas Bertazini no cage antes de partir para definir a luta que valia o cinturão dos médios, vago desde a ida de Ildemar Marajó para o UFC. Logo nos primeiros instantes, Júnior colocou uma mão em cheio no rosto de Bertazini e percebeu a hesitação do adversário. Como um animal que sente o cheiro do sangue de sua presa, ele não parou mais de agredir até que Douglas fosse para o chão sem condições de continuar o duelo, conquistando um rápido e impressionante nocaute.

Jiu jitsu prevalece no restante do card principal

Assim como a vitória de Júnior Alpha, as três lutas que antecederam as disputas de cinturão do Jungle terminaram rapidamente, todas no primeiro assalto e, mais coincidentemente ainda, todas por finalização. Bruno Beirute, Jhonatan Bombeiro e Bruno Lopes mostraram um conhecimento no jogo de chão significativamente superior ao de seus adversários, Rodrigo Romano, José Armoa e William Curaça, respectivamente, e não tiveram problemas para vencerem seus duelos com a luta de chão.

Em segunda luta profissional, jovem volta a impressionar e é destaque do evento

O peso médio Quemuel Ottoni estreou profissionalmente no MMA em agosto, pelo próprio Jungle, e nocauteou Jesus Ferreira da Rocha com pouco mais de um minuto de luta, mostrando boa postura na luta em pé. Neste sábado, Ottoni voltou ao cage e novamente impressionou. Ele começou a luta contra Carlos "Guarda", da Chute Boxe de Ourinhos, buscando a luta agarrada, mas, tendo a primeira investida frustrada, aceitou a trocação e mostrou que a opção foi certa. Fazendo ótimo uso da longa envergadura e com boa esquiva, ele machucou o rosto do adversário ao ponto em que o árbitro interrompeu o combate por um longo período para que os médicos avaliassem e limpassem o rosto de Carlos ainda no primeiro round. No segundo, o domínio de Quemuel persistiu e, após nova interrupção do árbitro, os médicos optaram por preservar a integridade do "Guarda" e decretaram o fim do duelo. Segunda vitória por nocaute em duas lutas na carreira de Quemuel, que vem se credenciando como uma boa promessa na categoria.

Jungle Fight 74

Ginásio do Ibirapuera, São Paulo

Sábado, 29 de novembro

Dirlei Mão de Pedra venceu Martin La Máquina por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27) - pelo cinturão meio pesado;

Júnior Alpha venceu Douglas Bertazini por nocaute técnico no 1º round - pelo cinturão peso médio;

Bruno Beirute venceu Rodrigo Romano por finalização (mata-leão) no 1º round;

Jhonatan Bombeiro venceu José Armoa por finalização (mata-leão) no 1º round;

Bruno Lopes venceu William Curaçá por finalização (katagatame) no 1º round;

Zeca Predador venceu Alexandre Turquinho por decisão dividida (29-28, 28-26, 29-25);

Quemuel Ottoni venceu Carlos Guarda por nocaute técnico (interrupção médica) no 2º round;

Vitor Super Boy vencey Júnior Suicida por decisão unânime (30-27, 29-28, 30-27);

Zé Reborn venceu Danilo Adrian por nocaute técnico no 3º round.

Leia mais ...

Com duas disputas de cinturão no card, Jungle Fight 74 apresenta cage girl da edição

Os fãs do Jungle Fight têm um motivo a mais para comemorar. A atriz e ex-BBB Aline Dahlen será uma das ring girls da próxima edição do evento, que acontece neste sábado (29), no ginásio Mauro Pinheiro, no Complexo do Ibirapuera, em São Paulo. A edição de número 74 do torneio terá duas disputas de cinturões e promete ser uma das melhores do ano.
 
Para divulgar a novidade, Aline participou de um ensaio sensual, na terça-feira (25), na academia de lutas XGym, no Rio de Janeiro. Além de muita simpatia, a ruiva, de 33 anos, esbanjou um físico de dar inveja. A gaúcha fará companhia a Geisa Vitorino e Vanessa Mesquita, vencedora do "Big Brother Brasil 14", e juntas serão responsáveis por entreter o público nos intervalos de cada round. 
 
Os ingressos para o Jungle Fight 74 podem ser adquiridos de forma gratuita na loja da Camisaria Colombo da Av. Paulista, 664, Bela Vista. Em compras acima de R$ 199,95, o cliente ganhar um par de ingressos para assistir ao evento. 
 
Dentro do cage, a atração principal da noite será o duelo entre o brasileiro Dirlei "Mão de Pedra" e o argentino Martin "La Maquina", valendo o cinturão dos meio-pesados (até 93kg). Já no co-evento o paulista Douglas Bertazini disputa o cinturão dos pesos-médios (até 84kg) contra o baiano Júnior Alpha. 
 
Além das disputas de cinturões, pelo menos outros três têm gerado grande expectativa. As revelações Bruno Beirute e Bruno Lopes entram em ação contra Rodrigo Gonzalez e Rene Soldado, respectivamente. Já Alexandre "Turquinho", pupilo do atleta do UFC Fábio Maldonado, estreia pelo torneio. Confira abaixo o card completo:
 
Jungle Fight 74
Ginásio do Ibirapuera, São Paulo
29 de novembro de 2014 
Card completo:
 
Martin "La Maquina" Ottaviano (Mario Sukata Academia Argentina) x Dirlei "Mão De Pedra "Broenstrup (Boxer MMA) - Cinturão 93kg
 
Douglas Bertazini (CT Miguel Repanas)  x Antonio "Júnior Alpha" dos Santos (Team Nordeste)  - Cinturão 84kg
 
Bruno "Beirute" Tavares (Bronxs Gold Team)  x  Rodrigo Gonzalez (Nigue Team/Chile) - 66 kg 
 
Jonathan Bombeiro (Vem Viver Team) x José Armoa (Paraguai) - 70kg
 
Rene Soldado (Power Lotus Team) x Bruno Lopes (011 Team) - 77kg
 
Alexandre "Turquinho " (Maldonado Sorocaba) x Zeca " Predador" Santos (Team Nordeste) - 84 kg 
 
Carlos "Guarda" Vicente (Chute Boxe Pirajú)  x Quemuel Otoni (Academia Komodo) - 84 kg  
 
Zozimar Junior "Suicida" (JB -Belem)  x Vitor "Super Boy" Oliveira  (Marcelo Nigue Team) - 77 kg   
 
Danilo Adrian (Colisão Jiu jitsu)   x   José Alexandre "Reborn" (Reborn Team)
Leia mais ...
Assinar este feed RSS