Portal do Vale Tudo

Após impressionar Dana White e conquistar contrato com o UFC, Thiago Moises comemora: ‘Foi o cartão de visitas’

por: PVT | @portaldovt
em 13 de setembro de 2018

Com um nocaute no primeiro round Thiago Moises carimbou o passaporte para o UFC – Foto: Getty Images/UFC

Aos 23 anos, Thiago Moisés botou o pé na porta do UFC ao passar com maestria no Contender Brasil, seletiva de Dana White para garimpar novos lutadores para a organização. Diante de Gleidson Poney, ainda no primeiro round, o atleta da American Top Team foi capaz de aplicar um nocaute técnico que teve início com um potente chute alto.. A vitória arrasadora arrancou elogios do presidente do UFC um contrato com a organização.

“Acredito que o que me levou ao UFC foi minha dedicação e a minha disciplina. Fui campeão mundial da IBJJF e tive um ano muito bom no Jiu-Jitsu naquela época, em 2011, e depois disso decidi me dedicar integralmente ao MMA. Comecei no Jiu-Jitsu aos 8 anos e no kickboxing, aos 11. Minha primeira luta de MMA amador foi aos 15 e depois fiz minha primeira luta de MMA profissional aos 17”, revela Thiago, antes de analisar seu modo de lutar.

“Sempre competi desde criança e acredito que por isso eu tenho jogo bem completo em pé como no chão. Consegui chegar no UFC com uma base bem sólida, com uma bagagem  boa, apesar de ser novo. Vou continuar fazendo as mesmas coisas que me trouxeram até aqui hoje e isso vai me levar longe dentro do UFC”.

Com o foco em ser campeão, Thiago vai manter o mesmo treinamento árduo de antes para ser o número 1 em poucos anos.

“Lutar ali, na frente do Dana White, na academia do TUF, por onde passaram grandes atletas e grandes campeões do UFC, lendas do esporte, foi uma motivação muito grande. Um dia eu quero ser campeão também e isso me motiva muito. Estava muito feliz e treinado.  Na hora da luta ali, era só alegria e deixei fluir. Mostrei para que eu vim, foi o cartão de visitas. Graças a Deus deu tudo certo. Consegui conectar bons golpes e, no final do round, dei um chute alto que acabou a luta. Eu estava treinando esse chute e vi que meu adversário não defendia bem”, encerra Thiago.