Portal do Vale Tudo

Após finalizar Renan Barão em torneio de grappling, Leozada Nogueira revela plano de voltar ao MMA

por: Leonardo Fabri
em 14 de fevereiro de 2017

Leozada ostenta os títulos conquistados em torneios de submission - Foto: arquivo pessoal

Leozada ostenta os títulos conquistados em torneios de submission – Foto: arquivo pessoal

Irmão mais novo do “Rei do Shooto” Alexandre Pequeno, Leozada Nogueira era uma das principais apostas da luta-livre no MMA na década passada, entretanto, após sucessivas derrotas, sua carreira acabou não decolando. Hoje, aos 32 anos e morando na Alemanha, onde dá aula de sua modalidade raiz, ele treina diariamente para disputar torneios de grappling e, quem sabe, retornar aos cages.

“Treino todos os dias aqui na Alemanha no intervalo das minhas aulas. Tem muita competição para acontecer este ano na Europa e eu pretendo disputar todas elas. Também estou fortalecendo a minha preparação para em breve voltar ao MMA”, afirma o carioca, que não tem nenhum adversário em mente para enfrentar em seu retorno. “Qualquer um será bem-vindo”.

O meio-médio estreou no MMA em 2005 e de cara despachou dois adversário, mas depois emendou quatroi derrotas em sequência até 2007, quando deu uma pausa, retornando em 2012 com vitória. Após isso, Leozada voltou a lutar apenas mais uma vez, em 2013, quando foi novamente derrotado. Ao todo, seu cartel é de três vitórias e cinco derrotas.

Leozada aplicou uma guilhotina em Barão - Foto: Divulgação/ADCC

Leozada aplicou uma guilhotina em Barão – Foto: Divulgação/ADCC

No último dia 4, Leozada foi um dos mais de 300 competidores que participaram da seletiva carioca do ADCC, que deu cinco vagas para próxima edição do maior torneio de grappling do mundo, marcada para setembro, em Helsinque, Finlândia. Embora não tenha conseguido uma das vagas, o representante da luta-livre se destacou ao finalizar o lutador do UFC Renan Barão com a especialidade da casa, a guilhotina.

“Sempre admirei o trabalho do Barão e para mim foi uma excelente experiência enfrentá-lo. Apesar de não ter vencido a competição, me sinto honrado de ter lutado com ele”, exalta Leozada, que foi crítico quanto à própria participação no torneio. “Acho que eu poderia ter treinado um pouco mais, porém, por conta do meu trabalho na Alemanha eu não tive oportunidade de treinar como eu queria. De qualquer forma o ADCC tem atletas muito duros e vence aquele que está mais bem preparado”.

Irmão de Leozada, Alexandre Pequeno reinou no Japão ao defender seis vezes o cinturão do Shooto mundial entre 2000 e 2005, sendo considerado o rei daquela organização. O irmão exalta a história escrita por Pequeno, mas lamenta o fato dele não ter embarcado na popularidade que o MMA atingiu no início desta década.

“Ele é uma lenda, todos o conhecem, muitos usam de suas técnicas, porém acho que ele ficou meio esquecido. A época dele foi outra, infelizmente não tinha tanta visibilidade, o MMA não era visto como esporte para ser assistido em família, como o futebol, por exemplo”.