Portal do Vale Tudo

André Dida dá dicas para quem quer ter sucesso no MMA e conta como vitória de Shogun sobre Machida mudou sua carreira

por: Leonardo Fabri | @Fabri89
em 12 de março de 2019

Apesar da pouca idade, 35 anos, André Dida é um dos principais treinadores de MMA do Brasil e certamente figura entre os melhores do mundo. Formado por Rafael Cordeiro na época de Chute Boxe, ele se orgulha da origem, embora destaque possuir suas próprias convicções, conquistadas ao longo dos últimos anos com estudos e afiando o jogo de diversos atletas. Em depoimento ao PVT, o líder da Evolução Thai deu um importante recado para quem quer ter sucesso no MMA e apontou o respeito à doutrina como principal premissa.

“Eu tenho a foto dele (Rafael Cordeiro) aqui na academia. De todos seus faixas pretas eu acho que eu sou o único que tem essa foto aqui dentro da academia. Não é por nada, é por gratidão, porque eu sou grato por tudo o que ele me ensinou. Aprendi com o melhor e automaticamente também estou fazendo um ótimo trabalho, adquirindo minha experiência, minha visão. O fato de eu ter sido um grande soldado… ele falava: ‘pula daqui, eu pulo daqui; faz aquilo, faço aquilo’… Obediência canina, é sim, sim; não, não. Não tem questionamento.”

André Dida também falou sobre a luta para ser respeitado como treinador, já que, por ser jovem, era visto com desconfiança por alguns. A virada na carreira veio aos 25 anos de idade, quando aceitou o desafio de preparar Maurício Shogun para enfrentar Lyoto Machida, em outubro de 2009. Depois de um primeiro duelo bastante equilibrado, com vitória apertada do carateca, o curitibano conseguiu o nocaute no segundo encontro, sete meses depois.

“Lembro que fui muito criticado na época… ‘ah, o cara é novo, isso e aquilo…’. mas não tem nada a ver com a idade, eu sou novo, mas tenho muita experiência. O que adianta ser velho e não ter experiência nenhuma? Meu jogo é de mão, eu entendi o que fazer para matar o jogo do Lyoto. Contratamos uns caratecas na época, porque não adiantava contratar meus ‘muay thaizeiros’ ou os caras do Boxe, porque é outro ‘time’, O Shogun estava enfrentando um cara do Karatê, os caras não estavam entendendo isso”, relembra Dida, que revela que tudo mudou após o título. “A partir daquele momento eu confesso que é diferente você ser conhecido nos bastidores e conhecido pela massa. A galera passou a me respeitar muito naquele momento. Além de ser um treinador jovem, eu matei um atleta que ninguém estava conseguindo desvendar o jogo.”

Assista ao depoimento na íntegra no vídeo acima.