Portal do Vale Tudo

Ameaçado no UFC, Marreta afirma estar tranquilo após suporte de psicólogo: “Corpo e mente preparados”

por: Leonardo Fabri
em 15 de fevereiro de 2017

Josh Hedges/Zuffa/UFC

Brasileiro necessita da vitória para seguir na organização – Foto: Josh Hedges/Zuffa/UFC

Na corda bamba do UFC, Thiago Marreta luta neste domingo contra o galês Jack Marshman em Halifax, Canadá, e uma vitória significa a permanência do brasileiro na maior organização de MMA do mundo. Isso porque, se antes ele vinha embalado por uma série de nocautes, agora ele vem de dois tropeços, e mais um pode ser a gota d’água. Apesar disso, ele garante que está tranquilo para lutar de forma solta.

“Estou muito bem. Sinceramente, não me sinto nenhum pouco pressionado. Sei do meu potencial, sei do que posso fazer no octógono, até por isso estou no maior evento de MMA do mundo. Então não vai ter Marreta conservador, com medo de perder. Quem assistir verá o Marreta de sempre, soltando o jogo, pois essa é a melhor forma para eu vencer qualquer um, sendo eu mesmo”, disse o peso médio em entrevista ao PVT.

Fisicamente e tecnicamente Thiago Marreta é considerado bastante perigoso, entretanto, em alguns casos, sua parte psicológica influencia negativamente em suas atuações, o que ele nunca negou. Depois do tropeço na última luta, na qual sua derrota para Eric Spicely, em Brasília, foi considerada zebra, o atleta da Tatá Fight Team recorreu a um psicólogo.

“Foi a melhor coisa que eu poderia fazer. Está sendo muito bom para mim, foi durante a minha preparação e tenho certeza que vai fazer a diferença na hora da luta. Claro, o corpo precisa estar preparado sempre, mas se a cabeça não estiver boa, de nada adianta. Estou bem preparado tecnicamente, e não importa se ele virá de forma agressiva – como ele costuma lutar -, ou defensiva, eu serei o agressor”, garante.

Entre janeiro de 2015 e maio de 2016 Thiago Marreta virou sensação ao enfileirar Andy Enz, Steve Bosse, Elias Theodorou e Nate Marquardt, respectivamente, mas em seguida acabou nocauteado por Gegard Mousasi em uma luta que foi aceita com poucas semanas de antecedência e finalizado pelo desacreditado Eric Spicely. Embalado por sete vitórias seguidas, sendo três por nocaute, três por finalização e uma por decisão, seu adversário, Jack Marshamn, estreou no UFC há dois meses, e na ocasião nocauteou Magnus Cedeblad no segundo round.