Portal do Vale Tudo

Além do tatame: campanha ‘Criança Nota 10, da LBV, beneficia alunos de projetos sociais com materiais escolares

por: Leonardo Fabri | @Fabri89
em 9 de março de 2018

Alunos do projeto foram beneficiados com materiais escolares da campanha “Criança Nota 10” – Foto: Divulgação

Quem acompanha os projetos sociais apoiados pela Legião da Boa Vontade, Super Radio Brasil e Prime Esportes sabe muito bem que conquistas de medalhas e troféus, seja no Judô, Karatê ou Jiu-Jitsu, é algo rotineiro e reconhecido, tanto que o trabalho exercido rendeu até o Troféu Alessandro Souza de Honra ao Mérito Esportivo na última edição do Prêmio Oswaldo Paquetá, premiação considerada o “Oscar da Arte Marcial nacional”.

Entretanto, as conquistas no âmbito esportivo são apenas detalhes se comparadas ao real objetivo de tais ações sociais, que é dar assistência para formar cidadãos. Para isso, a LBV, além das já sabidas reformas de salas, doação de quimonos, pagamento de inscrições, lanches e logística para competições fora do Rio, também fornece kits pedagógicos para materiais escolares para crianças em situação de pobreza por todo o Brasil, através da campanha “Criança Nota 10”, atingindo um total de 22 mil atendidos.

Um dos projetos que recebe a ajuda é o Spartanos do Complexo, que atende crianças e jovens de comunidades da Penha, na Zona Norte do Rio. No kit, as crianças recebem acessórios como lápis, canetas, borrachas, apontadores, colas, estojos, cadernos e livros. Líder do Spartanos, o mestre Anderson “Boizão” Ribeiro comentou a importância da ação.

“Esses kits são importantes porque incentivam ainda mais as crianças a irem para a escola. Tem muita criança que tem apenas um lápis, ou um caderno, ou não tem nada… isso desmotiva algumas crianças. Às vezes a professora propõe um exercício de pintura ou de recorte, mas a criança não tem lápis de colorir ou tesoura. Essa é a realidade. Então essas crianças que ganharam os kits das LBV têm uma motivação a mais para estudar”, explicou o faixa preta de Royler Gracie.

Professor de Jiu-Jitsu há quase 20 anos, “Boizão” tem entre seus faixas pretas um juiz, Dr. Rômulo Garcia; um advogado que já foi medalhista no mundial de Jiu-Jitsu, Marlon Perfeito; dois irmãos que são oficiais da Marinha, Lucas e Matheus Nunes; além de funcionários de multinacionais. Seu objetivo agora é que os alunos do projeto social percorram o mesmo caminho de sucesso.

“O que mais me dá orgulho é que nenhum faixa preta meu ficou pelo caminho, eu nunca me decepcionei com nenhum deles. No projeto já temos frutos também. Tenho uma menina que foi finalista da Olimpíada de Matemática estadual, tenho um menino que passou tanto no Pedro II quanto na Fiocruz, tenho uma menina que está se formando no Pedro II também”, contou o orgulhoso professor. “Além disso, tenho aqui crianças de 10, 12 anos que me trazem os boletins e vejo a maioria das notas acima de 9, que é o que a gente incentiva “.